10 comidas preferidas durante a quarentena e dicas para você aplicar no seu negócio

10 comidas preferidas durante a quarentena e dicas para você aplicar no seu negócio

Mesmo que menor o consumo durante a quarenta continua, o caminho está em descobrir quais são as preferências dos clientes


A pandemia já nos trouxe várias lições, sendo uma delas a importância da adaptação. As mudanças no comportamento dos consumidores são nítidas e não param de acontecer.

Em um primeiro momento, por exemplo, foi possível perceber um aumento na demanda de delivery de supermercado que se estabilizou na primeira quinzena de abril e restabeleceu o crescimento natural do delivery. Mas como o segmento vai se comportar daqui pra frente?

A especialista em food service Galunion realizou uma pesquisa junto ao Instituto Qualibest para entender os hábitos alimentares dos consumidores desde o início da pandemia e traz dados que podem inspirar os negócios ligados ao setor.

A partir daí, separamos um ranking com os alimentos preferidos durante o período e reunimos ideias práticas de como você pode repensar o seu negócio e redirecionar os seus esforços neste momento.


MENU DE NAVEGAÇÃO

1 → As 10 comidas preferidas durante a quarentena
2 → Meu produto principal não está no ranking. O que fazer?
3 → Dicas práticas para você aplicar no seu negócio


1 → As 10 comidas preferidas durante a quarentena

Pizza

Não é nenhuma surpresa que ela apareça em primeiro lugar. A pizza é um dos alimentos mais consumidos no mundo e consegue se adaptar facilmente aos gostos e à cultura local. A praticidade também conta pontos à favor da campeã do delivery.

Hambúrgueres

Os estabelecimentos dedicados exclusivamente a eles se tornaram muito populares nos últimos anos. Mesmo com o isolamento, a preferência dos brasileiros pelos hambúrgueres não diminuiu, em especial entre os jovens entre 18 e 23 anos. Segundo o estudo, eles representam 61% das intenções de consumo.

Brasileira

Em um período de incertezas, a busca por alimentos que já nos são familiares traz a sensação de conforto. Por conta disso, a comida típica brasileira (como arroz, feijão, bife, batata frita…) conquistou o terceiro lugar no ranking de preferência durante a quarentena.

Sanduíches

Versáteis, acessíveis, customizáveis e bons a qualquer hora. Os sanduíches também são campeões de preferência durante esse período de isolamento.

Massas

Quando a gente pensa em confort food, as massas são sempre uma boa opção. Esse apelo familiar pode ser uma das razões pelas quais esse tipo de comida conquistou a quinta posição no ranking.

Grelhados/Churrascos

O apelo familiar também está presente no quinto colocado. Por conta do isolamento, as tradicionais reuniões de domingo já não acontecem mais do mesmo jeito. Talvez por isso os grelhados e churrascos tenham se destacado dentre as preferências dos brasileiros.

Doces e Bolos

Outro exemplo de confort food que serve para adoçar a vida de muita gente em períodos de estresse. Segundo a pesquisa, escolha por esse tipo de comida é mais significativo entre mulheres (38%) e jovens (42%).

Salgados

Mais um item que é preferência entre os jovens. A pesquisa apontou que 44% deles gostariam de pedir mais salgados durante este período.

Açaí

Com um apelo maior relacionado à saúde e bem-estar, o açaí também entrou para o ranking de maior intenção de consumo durante a pandemia. Com exceção da região sul, onde apenas 20% dos entrevistados demonstraram preferência, nas demais regiões as mulheres (32%) e os jovens (41%) lideram a preferência pelo alimento.

Sorvetes

Por fim, mais uma confort food fechou o ranking. Assim como no item anterior, os sorvetes conquistaram a preferência das mulheres e dos jovens, com 26% e 32%, respectivamente.

2 → Meu produto principal não está no ranking. O que fazer?

Antes de tudo, é importante lembrar que a amostra conta com a participação de brasileiros de todas as regiões, então é preciso levar este fator em consideração.

É importante olhar para pesquisas como essa e identificar como o seu negócio pode se adaptar. Sabemos que isso não é fácil, mas ficar parado não é uma opção. Não sabemos por quanto tempo a pandemia vai durar nem quais serão os impactos do isolamento a longo prazo, então precisamos trabalhar com as informações que temos hoje.

Assumindo que você já trabalhe com o modelo de delivery, você pode fazer ao seu negócio as seguintes perguntas:

  • Quais foram os alimentos mais pedidos por delivery até agora? E quais tiveram uma queda no mesmo período?
  • Qual é o público que mais tem consumido por delivery durante o isolamento?
  • O público no qual eu mais invisto hoje é o que mais traz retorno para o meu negócio?
  • Se não for, com qual público eu devo me comunicar?
  • Se eu focar em um público diferente, precisarei fazer alterações no meu cardápio?
  • Quais mudanças eu posso fazer utilizando a estrutura que eu tenho hoje? 

Se você ainda não sabe como adaptar o seu negócio para oferecer delivery e não conhece os modelos disponíveis para esse serviço, leia também os dois artigos abaixo:


3 → Dicas práticas para você aplicar no seu negócio

Faça delivery de ingredientes

Como as vendas despencaram do dia para a noite, muitos negócios de alimentação acabaram acumulando um estoque que não era previsto. Uma saída é disponibilizar os ingredientes por delivery com a proposta de “faça você mesmo”.

Compartilhe receitas com os clientes e envie os ingredientes para que eles possam prepará-las. Segundo o estudo da Galunion, 93% dos entrevistados estão cozinhando e preparando comida em casa durante a pandemia, o que pode representar uma nova oportunidade para o seu negócio.

O fortalecimento desse hábito está diretamente ligado à sensação de segurança no processo de alimentação. 74% dos entrevistados afirmaram se sentirem mais seguros ao preparar comida em casa.

Venda combos de pratos congelados

Essa também é uma opção para muitos restaurantes aumentarem o seu volume de vendas. Você pode investir em combos para a semana, por exemplo, e diversificar as opções para cada dia.

Para o cliente, além da vantagem de reduzir o valor médio final, também diminui o número de entregas e, por sua vez, as inseguranças relacionadas à contaminação durante o processo.

Para o restaurante, a opção é um ótimo caminho para aumentar o volume de vendas e fidelizar clientes.

Crie cupons para prestigiar os clientes que seguem com você

Se a situação é complicada para os restaurantes, para os clientes também não é muito diferente. Por isso, demonstre que você reconhece e valoriza aqueles que permanecem comprando com você.

Cupons são uma boa estratégia para isso, além de oferecerem a possibilidade de atrair o cliente de volta. Para isso, trabalhe com cupons de desconto para a próxima compra, organize programas de recompensa ou disponibilize descontos exclusivos para depois que a pandemia passar. 

Analise a possibilidade de renovar o seu cardápio

O delivery do seu cardápio atual não está funcionando? Talvez a saída seja renovar o que você oferece. Mas não é preciso pensar em nada drástico; a proposta não é que o seu restaurante vegetariano se transforme em uma churrascaria. A ideia é aproveitar ao máximo os insumos e a estrutura que você já tem e fazer desse o seu ponto de partida.

Aqui não existe receita pronta: vai depender de cada negócio e do público no qual ele foca. Por isso, não deixe de perguntar aos seus clientes o que eles estariam dispostos a consumirem durante esse período antes de mais nada. E, acredite, você pode se surpreender e identificar oportunidades onde não enxergava antes.

Faça parcerias com outros negócios.

Se o seu negócio não tem como arcar com mudanças sozinho, que tal juntar forças com outros empreendimentos que também precisam aumentar as suas vendas?

Se você tem uma pizzaria, faça uma ação conjunta com uma sorveteria. Se vende salgados, busque confeitarias para oferecerem um combo para os clientes. Ou então busque parcerias fora do setor de alimentos: se você trabalha com produtos naturais, busque academias que migraram para o online e ofereça descontos para seus frequentadores.

Este, mais do que nunca, é o momento de os negócios se apoiarem e buscarem juntos alternativas para atravessarem a crise.

Leitura complementar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *