Empresas fechadas

Os impactos da pandemia no food service em 2021

Veja como a pandemia impactou o setor em 2021 e entenda como se preparar para a retomada em 2022.


Quando pensávamos que a pandemia se resumiria a um isolamento de 15 dias, não imaginávamos que, hoje, ela estaria prestes a completar 2 anos no Brasil.

Já passamos por altos e baixos que abalaram não só o sistema de saúde mas também a economia. E agora, mesmo com o avanço da vacinação, os números atuais da pandemia não nos deixam afirmar que ela chegou ao fim.

Mas a retomada já é uma realidade. A flexibilização do funcionamento de bares e restaurantes, assim como o aumento gradativo da circulação de pessoas, já contribuiu para que o setor de alimentação voltasse a crescer em 2021. A estimativa da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA), por exemplo, era de que o food service fechasse o ano passado com 27% da participação nas vendas totais da indústria de alimentos (R$ 173,3 bilhões), com um  crescimento de 3,1% em relação a 2020.

Veja os impactos da pandemia no setor de food service em 2021 e saiba como se planejar para a retomada em 2022.


MENU DE NAVEGAÇÃO

1 → Como o food service foi afetado pela pandemia em 2021
2 → O que esperar do food service neste ano
3 → Dicas para o food service em 2022


1 → Como o food service foi afetado pela pandemia em 2021

A retomada de um setor como o de alimentação fora do lar, um dos mais afetados pelo isolamento social, não é uma tarefa que se conclui do dia para a noite. Mas, ainda que tenhamos um longo caminho pela frente, os primeiros passos já foram dados rumo à recuperação.

Segundo um levantamento feito pela consultoria Galunion em parceria com a Associação Nacional de Restaurantes (ANR) e com o Instituto Foodservice Brasil (IFB), o desempenho do faturamento total dos estabelecimentos entrevistados era 25% superior ao faturamento de antes da pandemia, 13% era igual e 62% era inferior, levando em conta a comparação de julho de 2021 com o mesmo período em 2019, antes da pandemia.

Isso, é claro, também se reflete no que é ofertado para os clientes: 38% dos estabelecimentos precisaram aumentar os preços oferecidos ao consumidor, 18% pararam de ofertar os itens que tiveram aumentos muito expressivos, 15% trocaram insumos mas mantiveram boa parte dos itens no cardápio, além daqueles que renovaram ou trocaram 20% ou mais itens do cardápio.

O índice de endividamento de empresas também seguiu expressivo em 2021. 55% das empresas entrevistadas afirmaram ter dívidas, sendo a maioria bancárias e tributárias, e 48% estima que levará mais de 2 anos para quitá-las. Porém a adoção de novas fontes de receita, como o delivery, pode ajudar nessa retomada: se antes da pandemia o canal representava 24% do faturamento, no mercado de 2021 o número passou a ser de 39%. E mais do que isso: desses, 85% afirmaram que manterão o delivery mesmo depois de o serviço presencial retomar a ocupação total.

2 → O que esperar do food service neste ano

Para 2022, a expectativa é de recuperação total do setor. A retomada será gradual, conforme a vacinação continuar avançando e a maioria da população se sentir mais confiante para voltar a frequentar bares e restaurantes livremente.

Ainda segundo a pesquisa, 51% dos entrevistados acredita que os consumidores voltarão a frequentar seus estabelecimentos e/ou consumir no mesmo nível de antes da pandemia entre o final de 2021 e junho de 2022. 15% estimam que essa volta só acontecerá no 2º semestre de 2022, ao passo que 11% não acreditam que terão a mesma frequência de antes da pandemia.

Para este ano, além do desafio de atrair novos clientes e aumentar as vendas, a inflação e a crise econômica podem ser encarados como alguns dos principais empecilhos para que o setor volte a crescer. Por isso, ter canais de venda digitais bem consolidados, otimizar processos para reduzir custos e investir na gestão estratégica do negócio são pontos para os quais os empreendedores devem dar atenção.

3 → Dicas para o food service em 2022 

1) Aposte no delivery

Uma coisa é certa: os hábitos dos consumidores mudaram muito desde o início da pandemia, e o que até então vinha sendo tratado como tendência, já é parte permanente da rotina de muitos. Em um mundo cada vez mais conectado e com novas gerações que prezam pela rapidez e praticidade antes de tudo, é preciso ficar de olho em soluções como o delivery — seja para implementar em estabelecimentos, seja para o investimento em franquias.

2) Automatize processos

É possível tornar os processos mais ágeis sem perder qualidade. A automatização ajuda justamente nisso. Ao facilitar etapas feitas manualmente, como o registro de pedidos ou a logística de entrega, é possível focar a atenção da equipe no que mais importa: no preparo de cada pedido e na experiência positiva dos clientes.

3) Invista em fidelização

Em momentos de instabilidade econômica, são os seus clientes fiéis que ajudarão o seu negócio a atravessar a crise. Investir em programas de fidelização, além de estimular o aumento do consumo, também faz com que os clientes se sintam valorizados. Isso tudo sem contar que manter um cliente é sabidamente mais barato do que conquistar um novo, então a retenção é palavra-chave.

4) Fique atento às tendências de mercado

Ainda que nem todas as tendências do mercado de food service conversem diretamente com o seu negócio, é essencial conhecer os movimentos feitos pelos consumidores e adaptar tudo aquilo que fizer sentido para a sua realidade. Além de demonstrar agilidade, manter o seu negócio sempre atualizado ajuda a impulsionar a atração de novos clientes.

Leia também:

Food service 2022: números de 2021 e projeções futuras

Tendências para o mercado de delivery para 2022

Investimentos: o delivery no pós-pandemia e como investir no setor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.