Preocupado com a crise? Invista em franquias!

Após a pior recessão da história do país, a economia do Brasil apresentou a primeira evolução em dois anos, com um crescimento de 1% no primeiro trimestre de 2017. Porém, economistas acreditam que os números ainda são baixos para poder afirmar que o país venceu a crise.

Neste contexto, especialistas afirmam que agora é a melhor hora para investir em franquias. O setor não foi atingido pela crise e manteve o crescimento contínuo apresentado desde o início das atividades no Brasil. Os números podem ser conferidos no Relatório do Desempenho do Franchising no 1º Trimestre de 2017, divulgado pela Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Em relação ao mesmo período no ano passado, o Franchising apresentou um aumento de 9,4% no faturamento, uma curva bem mais ascendente que o próprio PIB. Em valores, isso corresponde a mais de R$36 bilhões movimentados no primeiro trimestre do ano. Desse total, o setor de alimentação apresentou o maior rendimento. No primeiro trimestre de 2017, o faturamento passou de R$9 bilhões, com um crescimento equivalente à 6% em relação ao mesmo período em 2016.

O motivo está na forma de trabalhar das franquias: o setor está em desenvolvimento contínuo, sempre atento aos indicadores de desempenho da economia, desta forma consegue aplicar e replicar ações em conjunto. Assim, as franquias puderam buscar alternativas para enfrentar os desafios econômicos antes que pudessem ser diretamente atingidas por eles. Isso incluiu negociação com bancos e fornecedores, promoções, inserção de novas alternativas de pagamento, expansão de mercados promissores e reformulação de logística.

O empenho coletivo resultou em um saldo positivo de 1,3% entre lojas abertas e fechadas, diferente do que se viu no restante do país. Atualmente são 142 mil unidades de franquias em operação no Brasil, empregando mais de um milhão de trabalhadores diretamente. Para se ter uma ideia do sucesso das franquias, uma pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2016 mostrou que mais de 60% das empresas criadas no país fecham antes de completar cinco anos.

As franquias voltadas ao setor de alimentação foram as que obtiveram os números positivos mais expressivos: liderando o ranking de faturamento, ultrapassando os R$9 bilhões no primeiro trimestre. Isso corresponde a um crescimento de 3,9% da receita nominal em relação ao mesmo período no ano passado.

Isso se deve a incorporação de tendências mundiais no segmento, atendendo as expectativas do público no Brasil. A diversificação dos serviços garantiu que o brasileiro continuasse consumindo comida de restaurante, porém mudando o hábito de ir até o estabelecimento, optando pelo delivery em casa.

A aposta para que o setor continue crescendo está nas inovações tecnológicas constantes, garantindo que as operações possam ocorrer exclusivamente de forma online; as experiências gastronômicas diversificadas, com opções que englobem a culinária mundial e os restaurantes clássicos da cidade; além da setorização da alimentação, atendendo aos clientes que possuem restrições alimentares (veganos, vegetarianos, celíacos, intolerantes à lactose e etc) ou buscam alimentos mais saudáveis em food service.

Esses dados corroboram a aposta de economistas para a escolha de abrir uma franquia, visto que em tempos de economia incerta, apostar em um modelo de negócio consolidado com uma marca reconhecida no mercado é a melhor alternativa. Como o momento é de cautela para os demais setores da economia, é mais fácil encontrar agora taxas de juros mais baixos e aluguéis mais baratos. Para além, o apoio constante das franqueadoras para com seus franqueados possibilita a troca de conhecimentos e capacitação constante, eliminando assim os principais riscos de iniciar um negócio.

Quer saber um pouco de como comprar e abrir sua franquia de sucesso? Acesse nosso guia de franchising e saiba mais!

 

guia-franchising-banner