consumo-de-alimentos

5 tendências de consumo de alimentos que são oportunidades de negócio!

Transformações sociais, culturais e políticas marcaram a história do mundo, e, hoje, temos um cenário globalizado, com distâncias cada vez menores e uma realidade tecnológica que não para de crescer.

A mudança de paradigma afeta diversos setores, e a alimentação está no centro disso, já que, por ser tão importante para a vida das pessoas, é uma das áreas que mais movimenta a economia dos países.

Hábitos antigos estão caindo por terra e comportamentos inovadores estão sendo construídos diariamente nas nossas cidades. E isso, é claro, influencia diretamente a produção, a comercialização e o consumo de serviços e produtos alimentícios.

A pesquisa Brasil Food Trends 2020, publicada em 2010, numa parceria entre a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) e o Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), investigou a alimentação e delineou caminhos da década atual no setor.

Esse estudo indicou 5 tendências globais de consumo de alimentos, que, se você observar bem, estão se confirmando. Quer saber mais sobre elas e entender como as renovações podem ser boas oportunidades de negócio? Então, siga nesta leitura!

 

  1. Saudabilidade e bem-estar

O envelhecimento populacional, a maior divulgação de descobertas científicas e o aumento do poder de compra nas regiões urbanas são alguns dos fatores que mais influenciam esse primeiro indicador.

A busca por uma vida equilibrada e com mais qualidade vem estimulando diversos segmentos recentemente. As lojas de alimentos naturais e orgânicos e os estabelecimentos voltados à suplementação, que pipocam não só nas regiões metropolitanas, mas também nas cidades pequenas, são casos claros dessa guinada de comportamento.

Outra ideia que está crescendo em diversas regiões é a dos estabelecimentos de fast food saudável, uma combinação que segue o já testado método de refeições rápidas, mas com uma pegada que absorve os novos cuidados com o consumo de alimentos.

 

  1. Sensorialidade e prazer

O maior acesso à informação, um processo decisivamente alterado por causa da internet, e a elevação do nível de instrução das pessoas são aspectos bem marcantes dessa tendência.

A possibilidade de conhecer diferentes culturas gastronômicas a apenas um clique transforma não só a relação com o consumo de alimentos propriamente, mas também de serviços que incentivam a descoberta de sabores, aromas e texturas.

Estabelecimentos gourmet e premium são iniciativas que cresceram muito com essa proposta, e, atualmente, já ocupam espaço reconhecido no mercado. E quando o assunto são serviços, as redes ganham destaque em inovação, como é o exemplo do Airbnb.

Em 2016, além de hospedagens, o site colaborativo começou a cadastrar também experiências. Usando a plataforma, qualquer pessoa pode filtrar opções únicas e dentro da faixa de valor que ela mesma definir para comer bem em diversos lugares do mundo.

 

  1. Conveniência e praticidade

Outra mudança drástica é a de ritmo de vida, estimulada pela urbanização. No mundo todo, grandes populações dependem inteiramente de indústrias e produtores para comer, já que não é mais tão comum cultivar o próprio alimento.

Esse cenário é o que estimula os negócios focados na economia de tempo e esforço dos consumidores. Refeições to go (as clássicas “pra viagem”) já são aliadas de muita gente.

E uma área que vem se popularizando entre os consumidores, sem dúvidas, é o delivery de comida. A Delivery Much aposta nesse conceito, inovando para facilitar a rotina das pessoas e estimular a divulgação de estabelecimentos locais de alimentação. Com a plataforma, o usuário pode fazer seus pedidos e pagamentos no conforto de casa ou até mesmo no intervalo do trabalho, bastando acesso à internet.

 

  1. Confiabilidade e qualidade

Aqui está um aspecto fortemente marcado pelo conhecimento mais abrangente dos consumidores. Marcas que se preocupam em valorizar o atributo de suas mercadorias e que adotam uma postura transparente com relação à sua tecnologia de produção, com certeza, fidelizam mais clientes.

Exemplos de estratégias dessa tendência são os selos de qualidade e de garantia de origem, elementos que se destacam entre as preocupações de um público que busca entender de onde vêm seus alimentos e como eles são produzidos.

 

  1. Sustentabilidade e ética

Essa última tendência do consumo de alimentos está ligada à questão educacional e também tem relação direta com a maior disponibilidade de renda e compra. Afinal, os consumidores que seguem tal comportamento, geralmente conseguem planejar mais suas rotinas e finanças e, logo, fazer melhores escolhas alimentares.

A preocupação, nesse ponto, vai além da qualidade. Mais que isso, as pessoas querem saber se uma empresa cuida do meio ambiente e se valoriza as pessoas para entregar seus produtos e serviços, por exemplo.  

O uso de embalagens recicláveis, a rotulagem clara e informativa, a divulgação de ações de prevenção ambiental e a comercialização de mercadorias mais naturais são algumas das ações que empresas já estão adotando para acompanhar as mudanças.

Os hábitos de consumo de alimentos estão passando por grandes transformações, e, se você tem vontade de entrar nessa área, conhecer o que a move é essencial. Aproveite a visita e aprenda ainda mais com a gente: leia também o post “5 ideias de negócios no ramo de alimentação para você empreender agora mesmo”!