Custo logístico o que é e como gerenciar

Custo logístico: o que é e como gerenciar

Parte essencial dos custos de um negócio, o custo logístico precisa ser bem planejado para evitar falhas no processo ou riscos à saúde financeira da empresa.


Os custos com logística estão presentes em todas as etapas do ciclo de um produto: desde aquisição e movimentação até armazenamento e entrega. Em tempos de crise, como os que enfrentamos, a otimização desse sistema logístico é fundamental.

Um bom planejamento para a redução de custos implica em soluções inteligentes e tão enxutas quanto possível. Para empresas que desejam aumentar os seus lucros, inclusive, a otimização dos processos logísticos deve ser prioridade.

Confira neste artigo como é composto o custo logístico, quais são os principais custos da logística em uma empresa e quais estratégias podem ser implementadas para diminuí-los.


MENU DE NAVEGAÇÃO

1 – Quais são os principais custos da logística
2 – Como é composto o custo logístico
3 – Estratégias para reduzir os custos logísticos


1 – Quais são os principais custos da logística

Estoque e armazenagem

Este é um custo que varia muito de uma empresa para outra, tanto em relação ao porte da empresa quanto em relação ao volume e tipo de produtos com os quais ela trabalha. Em resumo, quanto maiores forem o tempo de armazenamento e a quantidade de produtos, mais elevada será a despesa. Ele é calculado com base no custo dos produtos, no custo da falta dos produtos (quando eles se esgotam no estoque) e o custo de manutenção (mão de obra, aluguel do espaço, impostos, materiais encalhados…).

Embalagens

Já falamos sobre a importância de investir em embalagens adequadas no food service, e a mesma lógica serve para negócios de qualquer setor. As embalagens representam um custo logístico importante para o negócio. Mais do que o apelo estético, elas asseguram o acondicionamento correto dos produtos e evitam estragos durante os delocamentos. A otimização de espaço para fins de transporte e armazenamento também é um uso inteligente de embalagens bem planejadas.

Transporte

O transporte tem uma participação importante no somatório de custos logísticos das empresas. Ele pode ser feito através de transportadoras, operadores logísticos ou frota própria (tendo esse último o valor final mais elevado). Além de despesas com manutenção, combustível e depreciação, o transporte também exige que se invista em gestão de risco, uma vez que acidentes e roubos de carga são comuns. Tudo isso contribui para elevar o custo final do frete.

Logística tributária

O planejamento tributário também entra no cálculo de custos logísticos de uma empresa. No Brasil, além da alta carga tributária, também é preciso lidar com uma legislação complexa, que exige um planejamento bem estruturado para que a empresa tenha ciência de seus direitos e deveres.

Automação de processos

Além da complexidade dos processos logísticos, também é preciso levar em conta que o mercado está cada vez mais exigente, com consumidores que dão preferência à empresas que realizam entregas rápidas e eficientes. O uso de plataformas digitais para a automação de processos é um investimento importante para garantir a otimização de tarefas e redução de falhas. 

Recursos humanos

Os investimentos com mão de obra também integram os custos logísticos. São os colaboradores que farão com que a logística da empresa funcione, então é importante investir em mão de obra qualificada, além de fornecer treinamentos para alinhamento de objetivos.

2 – Como é composto o custo logístico

Em grande parte das empresas, os custos logísticos são o segundo mais importante – perdem apenas para o custo da mercadoria. A boa gestão é importante para que seja possível determinar os padrões de custos envolvidos e gargalos que coloquem em risco a saúde financeira da empresa.

A composição do custo logístico é calculada de acordo com os percentuais das atividades desempenhadas:

Transporte (32%): representa a maior fatia, abarcando o transporte e a distribuição das mercadorias.

Armazenagem (21%): valor destinado à organização e manutenção de um espaço físico adequado. A mesma porcentagem é válida no caso da contratação de um operador logístico.

Administração (20%): representa os investimentos realizados com o objetivo de otimizar processos administrativos. O investimento em recursos humanos entra nessa porcentagem.

Estoque (19%): o investimento na manutenção do estoque, no controle e no giro de mercadorias é importante para que a distribuição dos produtos para o transporte seja feita com o máximo de eficiência possível.

Trâmites legais (10%): porcentagem investida na logística tributária, impostos, taxas…

3 – Estratégias para reduzir os custos logísticos

Mapeie os processos logísticos

Essa estratégia é importante para evitar gargalos e inconsistências no processo logístico. Ela consiste em avaliar as sequências operacionais e buscar formas de torná-las mais eficientes. Quando esse mapeamento não é feito e as padronizações não são instituídas, cada processo pode ser executado de uma forma diferente, o que pode resultar em retrabalho, falhas e desperdícios.

Automatize de tarefas

Os processos automatizados permitem que tarefas sejam executadas por máquinas e softwares. Além da agilidade, as atividades realizadas de forma manual tem um custo maior e riscos de erros mais altos. Ao otimizar essas tarefas, a equipe pode se concentrar em outras mais estratégicas e direcionadas à melhoria do negócio. 

3) Tenha sistemas integrados

Aliada à automatização de tarefas, a integração de sistemas é essencial para otimizar processos e custos. Ao realizar essa integração, é possível evitar a duplicação de dados, incoerências nos inventários, perdas e outros erros. Através do sistema integrado você consegue acompanhar atividades em tempo real, controlar estoques, prever demandas, limitar gastos, melhorar rotas de distribuição, entre outras melhorias no processo como um todo.

4) Busque bons fornecedores

Essa é uma das melhores maneiras de ter um bom custo-benefício e garantir que as entregas sejam efetuadas dentro do prazo. Produtos de má qualidade, entregues com atrasos ou com defeitos acabam gerando riscos e despesas para a sua empresa, então cuide bem desse elo da sua cadeia de suprimentos.

5) Saiba equilibrar oferta e demanda

Em qualquer negócio, ter produtos encalhados é sinônimo de despesa. Além de ocuparem espaço, os produtos sofrem com o desgaste do tempo, tornam-se desatualizados e, no caso do food service, acabam estragando e precisam ser descartados, gerando um prejuízo maior ainda. Saber ter esse equilíbrio é essencial para que você consiga organizar suas compras de forma mais estratégica e inteligente.

Leitura complementar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *