Skip to main content
empreendedorismo virtual

Empreendedorismo virtual: números, estratégias e tendências para 2019

Rate this post

Vale mesmo a pena empreender online? Confira os dados do setor, conheça estratégias de sucesso e saiba quais são as principais tendências para 2019.


Se você acompanha o blog da Delivery Much, já conhece o conceito de empreendedorismo digital e compreende como este modelo de negócios funciona . Mas talvez uma dúvida ainda persista: vale mesmo a pena empreender online?

Para ajudá-lo na tarefa de decidir se este é o tipo de negócio para você, vamos analisar mais a fundo o setor.

Primeiramente é preciso esclarecer que o empreendedorismo digital não se restringe ao desenvolvimento de aplicativos ou à construção de sites. Um ótimo exemplo disso são as franquias online. Além representarem um negócio testado e validado, as franquias podem ser administradas de forma remota, eliminando a necessidade de um endereço ou estrutura física.

As principais vantagens deste modelo, como já aprofundamos aqui, são o custo inicial mais baixo, a quebra das barreiras geográficas, a escalabilidade e a flexibilidade. Se você quer se dedicar agora na construção de um negócio de sucesso, é preciso conhecer algumas estratégias e estar atento às tendências para 2019.

Neste artigo você vai conhecer:

1. Números do empreendedorismo virtual

2. Estratégias de sucesso

3. Tendências para 2019

4. Mudanças de Mercado


Números do empreendedorismo virtual

Analisar os números de um setor é fundamental para ter conhecimento do terreno em que se está pisando. Para entender melhor o comportamento do consumidor brasileiro no ambiente online, confira alguns dados divulgados pela Adnews

  • A aquisição de produtos e serviços online deve movimentar mais de R$ 270 bilhões no Brasil em 2020.
  • O crescimento das compras online deve chegar a 18% em 2019 e 17% em 2020.
  • As compras via smartphone devem aumentar 35% em 2019 e 34% em 2020, somando R$ 103 bilhões.
  • Dois dos principais motivos relatados pelos brasileiros para o aumento de seus gastos online foram a conveniência na hora de comprar (63%) e o aumento no número de plataformas de comércio online (32%)

Como já dissemos anteriormente, o mundo online faz parte da nossa realidade e é difícil pensar que possamos trilhar o caminho inverso rumo à desconexão. Mesmo os negócios tradicionais, que criaram raízes e cresceram no ambiente offline, já entenderam há bastante tempo que o potencial do ambiente online não pode ser menosprezado. Portanto você, que planeja dar seu primeiro passo como empreendedor neste meio e está se preparando para isso, já pode se considerar em um lugar privilegiado do grid de largada.


2. Estratégias de sucesso

As estratégias para um negócio de sucesso no ambiente online são totalmente inversas às de um negócio offline, certo? Errado.

De maneira geral, a maior diferença entre um negócio digital e um tradicional está no nível das operações. Em outras palavras, os conhecimentos necessários para fazer um negócio dar certo são os mesmos para todos.

É claro que os riscos e níveis de complexidade podem mudar drasticamente de um negócio para o outro – seria muito simplista comparar uma loja de bairro e um grande player do mercado online e não levar isso em conta. Mas pense que, no nível de gestão (de marketing, finanças, recursos humanos e projetos), os conhecimentos necessários são, em linhas gerais, os mesmos.

Para nortear você neste primeiro momento, separamos abaixo alguns pontos aos quais você precisa estar atento:

  1. Avalie todas as oportunidades antes de investir em um nicho de mercado
  2. Pesquise, conheça a história de outros empreendedores e evite investir no escuro.
  3. Seu cliente vem em primeiro lugar, então esteja sempre atento as suas necessidades.
  4. Monte uma equipe eficiente – seja ela de 1 ou 1000 funcionários.
  5. Aposte no marketing digital: ele fará toda a diferença no impulsionamento do seu negócio.

3. Tendências para 2019

Separamos abaixo as tendências de consumo, mudanças de mercado e tecnologias que podem inspirar o seu negócio. Acompanhe:

Consumo

On demand

O que você quiser, na hora que você quiser. Esta é a lógica do consumo on demand (ou consumo por demanda). Podemos dizer que este ele é o resultado da união de tecnologias disruptivas com o desejo de proporcionar a melhor experiência de consumo para o cliente.

A internet foi a grande facilitadora da expansão deste modelo. Com o aumento da busca dos usuários por conteúdos cada vez mais personalizados, as empresas passaram a se reinventar para se adaptarem a esta nova realidade. O resultado? Além de surgirem novos aplicativos que disponibilizam conteúdos e serviços por demanda (filmes, séries, músicas…) todos os dias, vemos empresas tradicionais, como as de TVs a cabo, incluírem serviços on demand nos seus catálogos na tentativa de reterem seus clientes. Prova de que esta tendência veio para ficar.  

On-the-go

Com uma rotina cada vez mais acelerada, esta é a forma que muitos brasileiros encontram para consumir produtos alimentícios. Como o nome diz, o consumo é feito em movimento e, em nome da dinamicidade e da funcionalidade, dispensa os aparatos tradicionais envolvidos em uma refeição (como mesas e cadeiras, no caso de um restaurante).

Delivery

Mais uma forma de consumo que surgiu com o objetivo de facilitar a nossa rotina. Os serviços de delivery vêm conquistando cada vez mais brasileiros nos últimos anos – principalmente aqueles relacionados ao setor de alimentação.

Os números comprovam: segundo estudo da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), em 2018 o delivery de comida atingiu 117 milhões de pessoas. Ou seja, 56% dos brasileiros utilizaram o serviço de entrega para pedir um lanche, almoço ou jantar. Um prato cheio para quem deseja investir no empreendedorismo virtual neste setor.

empreendedorismo virtual

4. Mudanças de mercado

Migração para o interior

Esta tendência vai contra um movimento forte até alguns anos atrás. Ao invés de vermos os empreendedores buscando as capitais para darem início aos seus negócios, o interior vem sendo a opção de muitos para começarem um empreendimento.

A lógica de cidades interioranas é diferente das cidades grandes, e apresenta diversos benefícios, como a construção de uma base mais fiel de clientes, custos de implementação mais baixos e um espaço maior para expansão, ao contrário do mercado saturado das grandes capitais.

Home office

O trabalho remoto já é a realidade de muitos brasileiros – e, se você decidir ser um empreendedor virtual, logo será a sua realidade também. Os benefícios deste modelo justificam o crescimento do interesse pelo trabalho realizado de casa: aumento da produtividade, redução de custos com estrutura física e burocracias e melhora da qualidade de vida, apenas para citar alguns. Para que o sistema funcione, é necessário investir no uso de ferramentas que auxiliem a gestão do negócio e a comunicação entre os membros da equipe.


Tecnologia

Inteligência artificial

Esta é uma tecnologia em consolidação no mundo todo, mas seu potencial é inegável. Serviços como reconhecimento de voz e imagem ou de identificação de padrões de comportamento são exemplos que já fazem parte da nossa realidade. E o investimento neste setor é alto: os gastos globais com tecnologia cognitiva e sistemas de inteligência artificial devem somar US$ 52 bilhões até 2021 de acordo com estimativa da consultoria IDC.

Quem está começando o seu negócio agora também pode utilizar a inteligência artificial em tarefas administrativas, por exemplo. O uso de chatbots é um ótimo exemplo tanto do uso quanto da evolução que este sistema apresentou nos últimos anos. Mesmo se você não optar por empreender em um setor que trabalhe diretamente com IA, é importante entender que ela  terá um papel fundamental na próxima onda da inovação.

Quer ser um empreendedor digital? Confira mais dicas em nosso conteúdo especial: “Empreendedorismo digital: o que é, vantagens e por que apostar no modelo“.