Histórias Delivery Much Delivery Much Alegrete, de usuário a empreendedor de sucesso

Histórias Delivery Much: Delivery Much Alegrete, de usuário a empreendedor de sucesso

Terra de Mário Quintana, para encontrar Alegrete você deve seguir o rumo do seu próprio coração ao ouvir toque de gaita e de violão. A cidade com cerca de 75 mil habitantes, está localizada a 509 Km de Porto Alegre, e além de grandes artistas e tradição gaúcha, abriga a franquia Delivery Much de Alegrete, comandada pelo empreendedor João Élcio.

João conta que a ideia de empreender com delivery veio depois de uma experiência em Santa Maria. “A gente foi à uma festa. Estávamos com fome e não tínhamos dinheiro e nem como ligar para pedir nada. Aí alguém falou sobre um ‘negócio na internet’ para pedir. Ali eu conheci a Delivery Much.”

O modelo inovador depertou em João a vontade de levar a solução para Alegrete. “O meu amigo disse ‘se isso tá rolando aqui (em Santa Maria) há dois anos, em Alegrete vai levar mais uns 5 pra chegar’. E eu disse: ‘não, não vai’.”

Quando voltou à cidade, João abriu sua própria empresa: a Menu Delivery. Três meses depois, a Delivery Much estava executando seu plano de expansão e comprou a Menu Delivery. “Foi assim que eu me integrei à Delivery Much”, explica João.

delivery much franquia de delivery

A jornada empreendedora

O começo nunca é fácil. João conta que durante o período que teve a Menu Delivery, o pessoal não acreditava que ia dar certo. Mesmo com a mudança para Delivery Much, havia por parte de amigos e colegas de trabalho a desconfiança sobre o ‘negócio de pedir comida pela internet’.  

Durante os primeiros dois anos, João conciliou o trabalho na franquia com o emprego em um banco. Um ponto essencial na jornada de João foi acreditar sempre no negócio. Ele brinca que gosta muito de comida e por isso é um dos usuários mais ativos da rede Delivery Much, sendo o 11º melhor cliente da empresa. 

“Há casos onde o empreendedor não consome seu próprio produto. Eu acredito que você precisa estar realmente por dentro, para ter a experiência que seus clientes também estão tendo. Com isso, é possível entender as dificuldades e estancar o problema de forma efetiva.”

O espírito empreendedor

João destaca que ainda no colégio percebeu o poder transformador da tecnologia. “Eu lembro de quando estava na escola e apareceu o primeiro ‘guri’ com um celular com câmera. Ele tinha muito dinheiro, então, eu pensei que era um negócio que seria só para ricos, não ia chegar em mim. Aí no ano seguinte já tinha um monte de gente com celular com câmera. No final do colégio eu também já tinha um. Ali eu comecei a me dar conta de que a tecnologia era muito rápida, democrática e transformadora.”

Com isso em mente, João conta que começou a perceber como a tecnologia facilita processos e o dia a dia, e após o contato com a Delivery Much, em Santa Maria, entendeu que era possível ir além e facilitar a vida de todos, e precisava colocar a mão na massa.

“As pessoas sempre têm a mania de esperar que alguém faça alguma coisa por elas. Eu sempre pensei que se é para fazer acontecer, você precisa acreditar e fazer.”

Ele conta que a partir de então, buscou conhecimento sobre o setor, pois não bastava apenas gostar de comer. Na análise do empreendedor, de início, ele sabia que o negócio iria engatinhar e precisaria durar pelo menos dois anos antes de começar a crescer. 

Segundo ele, o erro de muitas pessoas é o de querer um retorno muito rápido. Por isso, estabeleceu uma meta de faturamento e seguiu determinado a não desistir antes do período estipulado.

Para João, o negócio era sustentável a longo prazo, ele destaca que pela natureza do modelo, alimentação é algo que não se torna obsoleto.

 “As pessoas sempre vão precisar comer, e cada vez mais elas têm menos tempo para cozinhar.” Ele via o exemplo dentro de casa, onde todos trabalhavam e preferiam pedir comida, e acreditava que a tendência era de que esse comportamento crescesse cada vez mais. “Eu pensei que se fosse o primeiro a começar (um delivery), iria colher os frutos em alguns anos. Eu tinha um pensamento lá na frente.”

A construção da rede de parceiros

No início, apenas 4 restaurantes da cidade acreditaram no aplicativo de delivery. O processo para convencer outros estabelecimentos a aderirem a solução foi longo, e precisou de muita iniciativa do empreendedor para que desse certo.

“No começo, em 2014, eu mapeei 42 empresas de alimentação na cidade. Eu visitei todas elas e fechamos inicialmente com 4. Das 42, apenas 6 tinham computador. Das que eu fechei, duas tinham e duas não tinham, mas queriam fazer parte. Então eu levei um computador para um deles e para o outro eu repassava os pedidos.”

Ele conta que foi um período de muito aprendizado. A sensibilidade foi essencial para moldar o negócio à realidade do mercado local. “Nós aprendemos muita coisa. Primeiro cobrávamos preço fixo, depois mudamos para porcentagem. Aí cobrávamos uma porcentagem alta e os parceiros não aceitavam… a gente adequou muita coisa.”

À medida que as operações foram dando resultado, João resgatou o computador emprestado e contratou uma funcionária para repassar os pedidos. “O dinheiro que entrava ia quase todo pra pagar o serviço dela, mas isso mantinha a ideia viva.”

O esforço deu certo: conforme a cultura do delivery foi crescendo na cidade, mais estabelecimentos começaram a demonstrar interesse na solução. De acordo com João, a construção de um bom relacionamento e confiança foram fundamentais para isso.

Hoje, a franquia Delivery Much Alegrete conta com 96 parceiros e uma rede de mais de 15 mil pessoas usuárias A unidade se destaca como uma das cidades mais sólidas da rede.

O impacto do delivery na cidade

João conta que, além do crescimento de lojas parceiras, ele também testemunhou o crescimento digital da cidade com a chegada da Delivery Much. “A gente foi o primeiro app para Alegrete. O banco tinha o aplicativo dele, assim como outras empresas grandes, mas nunca teve nenhum aplicativo voltado para o público de Alegrete. Nós fomos o primeiro. Depois disso, começaram a aparecer outros aplicativos, e até mesmo as empresas começaram a fazer sites próprios.”

O pioneirismo também coloca João como uma referência no digital na cidade. Ele destaca ser muito gratificante olhar para trás e perceber o resultado colhido. “Hoje sou convidado para falar sobre empreendedorismo e tecnologia por instituições como Sebrae, Senac e Unipampa (Universidade do Pampa)”.

Mas além de transmitir conhecimento, a Delivery Much Alegrete coleciona casos do impacto positivo gerado pelo app na vida de todos na cidade. João conta que surgiram restaurantes para atuar apenas no app, empregos foram gerados e algo que ele traz na memória é o relato de um entregador. 

“Um entregador, que veio me trazer um lanche, me agradeceu. Ele me falou sobre a situação da família na pandemia. Contou que a esposa trabalhava em uma empresa de cópias, infelizmente, fechada na pandemia. E com a entrada da loja que ele trabalha na Delivery Much, o número de pedidos triplicou e agora ele está conseguindo suprir o que a esposa está deixando de ganhar.” João também lembra que essa foi uma parceria que quase não aconteceu: “Esse foi um restaurante em que eu tive que insistir para fechar parceria, porque eles foram resistentes no início. Em função da pandemia eles viram a oportunidade.”

A pandemia

Quando as portas dos restaurantes fecharam para o público, elas se abriram para o delivery. As entregas a domicílio foram a solução encontrada para que os estabelecimentos continuassem operando, o que refletiu no crescimento do delivery em todo o mundo.

“A pandemia acelerou muito o negócio. Antecipou uns dois anos. Antes da pandemia tínhamos pouco mais de 9 mil pessoas usuárias, agora temos 15 mil. É um número muito expressivo em um curto espaço de tempo. Nós levamos cinco anos para chegar a 9 mil e em um ano conquistamos 6 mil usuários a mais. Isso é muito importante, pois não apenas apresenta uma necessidade, mas também um novo comportamento de quem compra.”

João relembra que todo esse crescimento só aconteceu porque todos se uniram. Nós como franquia apoiamos os negócios parceiros para ajudá-los a atravessar o momento de crise. “Para quem ia entrar e estava com pouco dinheiro, não cobrávamos adesão, outros havia a redução. Muitos começaram durante a pandemia, precisando trabalhar e sem muitas condições de investir. Então, faço o que eu puder pra dar uma ajuda. Eu penso que, se fosse eu nessa situação, também ia querer ter alguém que pudesse me dar uma ajuda.”

Segundo o franqueado, o número de trabalhadores que se viram desempregados, investiram em um negócio próprio e foram em busca da Delivery Much também aumentou. Depois de ajudar alguns desses negócios a iniciarem o delivery, João conta que muitos dos novos parceiros e também dos antigos tem o delivery como responsável por cerca de 60%, 70% do faturamento destes negócios.

E para 2021?

O cenário mundial ainda é muito incerto e as previsões para a economia mudam o tempo todo. Ao mesmo tempo em que a volta a uma rotina “normal” parece mais próxima, em muitos momentos ela ainda soa como uma realidade distante. Tudo isso, é claro, influencia diretamente no desempenho dos mais diversos mercados.

 João é realista em relação ao setor de delivery para este ano:

“As dinâmicas mudaram, ainda estamos nos adaptando. Eu acredito que 2021 não vai ser como 2020. Eu acredito que vamos seguir em crescimento, mas não como aconteceu no ano passado, e sim em um ritmo normal.”


Leitura complementar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *