Da escolha à operação: como funciona uma franquia

O modelo de franquia funciona a partir da comercialização de uma marca, por tempo determinado em contrato, a um empreendedor terceiro

Como funciona uma franquia

Franquear uma marca, produto ou serviço é o modelo utilizado por empresas para ampliar seu campo de atuação de forma mais rápida.

Na prática, a empresa (franqueadora) cede para um empreendedor (franqueado), mediante remuneração, todo seu know-how, planos de negócio, marca e tecnologia, para a abertura de um negócio próprio em regime exclusivo ou semi-exclusivo em uma determinada região.

E para entender todos os detalhes do sistema e como funciona uma franquia da escolha à operação, neste conteúdo você vai ler:

1 → Como funciona uma franquia

1 → Escolha da marca e segmento: o empreendedor define que tipo de negócio quer empreender e escolhe uma ou mais marcas para investir;

2 → Processo seletivo: para comprar uma franquia, o empreendedor precisa participar do processo seletivo. Este processo, em geral, é rápido e simples. O processo seletivo é uma forma das franqueadoras garantir que o interessado cumpre os requisitos esperados para comprar uma unidade. 

3 → COF e contrato de franquia: se aprovado no processo seletivo, o franqueado recebe a COF (leia aqui) e o contrato de franquias. É imprescindível que estes documentos sejam avaliados com calma e assinados apenas após ter ciência e clareza sobre todos os pontos neles dispostos.

4 → Documentação e pagamento da franquia: paralelo a etapa 3, o empreendedor precisa enviar à empresa toda a documentação necessária para firmar a parceria e efetuar o pagamento da franquia. Para o pagamento, cada marca pode estipular diferentes formatos, como: pagamento à vista, parcelado ou mesmo em diluição durante a vigência do contrato. 

5 → Escolha da praça: aqui o franqueado, caso já tenha definido o local de atuação na etapa de processo seletivo, deve apontar e decidir em conjunto com a franqueadora onde irá atuar. Importante entender que antes da escolha da praça, o empreendedor deve ter ciência se sua operação será exclusiva ou semi-exclusiva. Além disso, dependendo do modelo de negócio escolhido (digital ou físico), o empreendedor deve cumprir com as regras vigentes para a abertura de negócio. Entenda mais aqui: Porque investir em franquias digitais frente a franquias tradicionais.

6 → Treinamento: concluídas as etapas anteriores, o empreendedor deve participar do treinamento da franqueadora. Cada marca atua de forma distinta, em algumas o treinamento é online e em outras presencial. A duração do curso também vai variar de marca para marca. 

7 → Implantação e operação: completo o treinamento, o empreendedor está apto a iniciar a operação do negócio. É importante destacar que a maioria das marcas divide em etapas (implantação, transição e operação) o início das atividades. Este processo é necessário para identificar possíveis gargalos e dar escala a nova unidade. 

8 → Suporte e acompanhamento: após a compra da franquia, as grande maioria das marcas inicia o processo de suporte e acompanhamento do franqueado. Esse suporte segue durante toda a vigência do contrato.

9 → Renovação do contrato: em caso de sucesso da unidade e aceite de termos de renovação entre todos os envolvidos no processo (franqueadora, franqueado e sócios, se houver), o contrato é renovado ao término do anterior.

Voltar ao menu

2 → Quais são e como são cobradas as taxas de franquia

Investir em uma franquia tem um custo muito menor que em um negócio próprio. Contudo é essencial entender que existem taxas, além de impostos e alvarás, obrigatórias a serem pagas para adquirir e manter o negócio em operação. Lembrete ao empreendedor: é essencial avaliar os valores de cada taxa e o capital de giro obrigatório para se iniciar o negócio.

1 → Taxa de franquia

a taxa de franquia é o valor pago pelo empreendedor à empresa para adquirir a marca, ter acesso ao know-how, treinamento, manuais, acesso a rede de franqueados e outros elementos que compõem a compra da franquia.  Quando é cobrada: na compra da franquia Quanto é: cada empresa define o valor a ser pago, que pode variar em uma franquia digital de R$ 5 mil a R$ 90 mil e em uma franquia tradicional de R$ 60 mil a R$ R$ 1 milhão.

2 → Royalties

são valores recorrentes, geralmente mensais, pagos à franqueadora. Estes valores garantem a manutenção do contrato e demais serviços oferecidos pela empresa ao franqueado. Quando é cobrada: mensalmente Quanto é: varia entre 4% e 30% do faturamento bruto da unidade, em alguns casos pode ter valor fixo.

3 → Taxa de tecnologia ou sistema

a taxa está vinculada a transferência constante, manutenção e melhoria de sistemas e aplicativos inerentes à operação da franquia. Quando é cobrada: mensalmente Quanto é: varia entre 5% e 30% do faturamento bruto da unidade, em alguns casos pode ter valor fixo.

4 → Capital de giro

embora o valor não se configure como uma taxa a ser paga à franqueadora, o capital de giro é um valor obrigatório para que a franquia opere com saúde financeira até começar a dar lucro (break even). Quando é cobrada: na implantação da unidade. O valor não é pago a franqueadora, ele deve ser investido pelo empreendedor na própria unidade. Quanto é: varia de marca para marca e por características como população, concorrência e sazonalidade. 

5 → Fundo de marketing

o valor do Fundo de Marketing é investido em campanhas de marketing aplicadas para toda a rede. Em empresas como a Delivery Much, um estudo, conduzido pela equipe de marketing, mostra um crescimento 25% maior nas unidades que participam do fundo. Quando é cobrada:mensalmente. Quanto é: pode variar entre 3% e 5% do faturamento da unidade ou ter valor fixo.  Além destes investimentos e taxas, dependendo da marca e segmento escolhido, outros valores, como mídia de lançamento ou taxa de serviço podem ser cobradas.  Para saber quais são as taxas de cada negócio, o empreendedor pode conferi-las no processo seletivo e também na COF.

2.1 → Como o franqueado ganha dinheiro

A remuneração de cada franquia é feita de acordo com as características do negócio. Por exemplo, um quiosque ou loja, o franqueado tem sua remuneração das vendas feitas por sua unidade, seja ela física ou online. Em outros formatos, como em um sistema de delivery, o franqueado tem sua remuneração a partir da comissão dos pedidos feitos pela plataforma que ele administra. Como não há um padrão de remuneração, é interessante ao empreendedor buscar informações sobre como funciona a remuneração da franquia a qual pretende investir.

Voltar ao menu

3 → Modelos de negócio em franquias

Segundo a ABF (Associação Brasileira do Franchising), existem no Brasil mais de 3 mil marcas de franquias, que atendem nos mais variados segmentos e formatos. 

Então, se você quer investir em uma franquia e não tem certeza de por onde começar, o ideal é filtrar por segmento, formato e só então definir uma marca para investir.

Ou seja, partindo desta linha narrativa, você pode iniciar o filtro por uma franquia, observando os segmentos e optar pelo mais adequado ao seu perfil ou por segmentos que estão em alta. 

É importante salientar que optar por um modelo apenas pelos números de mercado e momento do nicho pode ser um erro. É preciso lembrar que após a assinatura de contrato, salvo exceções postas em contrato, o empreendedor terá ao menos 5 anos de trabalho com a marca escolhida. 

SegmentoCrescimento em 2019                      Franquias
Alimentação5,65%Delivery Much, 10 pastéis, Subway, Bobs, etc 
Casa e Construção8,12%Casa do construtor, CIA do Sono, Portobello Shop, etc
Comunicação, informática e eletrônicos12,05%Beblue, Atende Portaria, Premiapão, Vigilância solidária, etc
Entretenimento e lazer6,32%Cata-vento, Clube da Criança, Livraria e papelaria Nobel, etc
Hotelaria e turismo2,63%Accorhotels, Amaze Travel, Drops Motéis, Clube Turismo, etc
Limpeza e conservação8,64%5 à Sec, Eco Hidro, Restaura Jeans, SR Vapor, etc
Moda7,61%1 + 1, Arezzo, Bagaggio, Cia Marítima, etc
Saúde, beleza e bem estar6,61%A Fórmula, Adlux, Astra Assessoria, Barbearia Vip, etc
Serviços automotivos3,24%Banca do automóvel, Acquazero, Bono Pneus,Lubrax +, etc
Serviços e outros negócios7,5%Ákora, Algar Telecom, Brastemp, Embracon, Rede Vistoria, etc
Serviços educacionais6,6%BSB Musical, Cultura Inglesa, Febracis, Ensina mais, Wizard, etc

Após definir qual segmento é o mais adequado ao seu perfil o próximo passo é definir qual formato é mais atrativo e necessários para sua cidade ou região.

É importante ao empreendedor entender que há franquias que se encaixam em mais de um formato e, em alguns casos, em mais de um segmento.

Por exemplo, a Delivery Much se configura como uma franquia de alimentaçãop, mas ao mesmo tempo se encaixa em tecnologia, por ser uma franquia de delivery. Além disso, a empresa está definida como uma franquia digital e também microfranquia.

          Formato

          Franquias 

Franquias tradicionaisnegócios físicos em geral

Arezzo, Wizard, Portobello Shop, etc.

Franquias digitaisnegócios que podem ser administrados a partir da internet

Delivery Much, Echosis, Procob, etc

Microfranquias: negócios com investimento inicial
de até R$ 90 mil.

Delivery Much, Acqio, CI Intercâmbio, etc

Nanofranquias: negócios com investimento inicial 
de até R$ 25 mil

Sem Aperto, Padaria Pet, IE Intercâmbio, etc

Definidos os dois primeiros pontos, o foco do empreendedor deve estar em estudar ao máximo o mercado do segmento e formato definido e buscar informações e contato com as marcas e então dar andamento ao processo de compra.

Voltar ao menu

4 → Como funciona a compra de uma franquia

Definidos segmento, modelo e marca a ser investida, o empreendedor deve avançar para a etapa de compra do negócio.

É essencial reforçar que, assim como em qualquer negócio, quanto mais conhecimento sobre o sistema de franquias e o mercado escolhido o empreendedor tiver, maiores as chances de sucesso da unidade.

A partir disso, a compra de uma franquia segue (vamos abordar todas as fases, mesmo as já citadas acima):

1 → Identificação de uma oportunidade de negócio: esse passo é essencial, pois ao identificar uma oportunidade, por exemplo: a venda de chocolates, o empreendedor deve iniciar o processo de validação da oportunidade e também entender alinhar expectativas com o que as franquias oferecem como negócio.

2 → Definição de praça ou região para operar: dependendo de onde o franqueado reside, pode ocorrer de não haver a disponibilidade da franquia. Nesse caso, o empreendedor pode optar por investir em outro negócio (segmento ou concorrente), ou mesmo mudar de cidade para iniciar a operação.

3 → Seleção de segmento, modelo de negócio e marca: como explicamos acima, esta etapa acontece em paralelo a 1 e 2 e, reforçando, é de extrema importância ao empreendedor buscar o maior número possível de informação antes de investir.

4 → Troca e busca de informações sobre o setor a ser investido: durante o processo de prospecção de uma franquia, o empreendedor deve aproveitar para extrair o máximo de informações sobre a marca e sobre o setor definido. Lembre-se, embora haja um processo seletivo para cada marca, o empreendedor também deve selecionar a marca que lhe é mais interessante e adequada às suas expectativas. 

5 → Participação do processo seletivo da marca definida: em geral, como trouxemos acima, o processo seletivo das franquias é simples e rápido e, na sua maioria consistem em: 

  1. preenchimento de cadastro de interesse
  2. conversa com consultores da empresa
  3. validação de informações
  4. compra da franquia

4.1 → Cuidados na compra de uma franquia

Dentro do processo de compra de uma franquia é importante o empreendedor atentar para a Lei de Franquias e da COF (clique aqui para entender mais). 

Estes dispositivos são a garantia tanto para empreendedor quanto para a franquia na assinatura do contrato. 

Com base nisso, ao comprar uma franquia, o empreendedor deve:

1 → Receber a COF com 10 dias de antecedência a assinatura do contrato ou pagamento de qualquer valor

2 → Ter acompanhamento jurídico durante todo o processo de compra

3 → Receber do franqueado todas as informações dispostas em lei sobre a franquia

4 → Receber treinamento e tudo o necessário para iniciar a operação

5 → Ter suporte durante toda a vigência do contrato

6 → Preferência para renovação de contrato

7 → Estar ciente para valores e taxas cobradas

8 → Conhecer todas as responsabilidades assumidas com a franquia

Além disso, o empreendedor deve ficar atento ao negócio que será investido. No mercado além das franquias existem as empresas que fazem a licença da marca. 

De maneira prática, a diferença entre os modelos é:

Franquias

Licenciamento

Status de dono da marca pelo período de vigência de contrato de franquia

Licença de uso da marca pelo período de vigência de contrato

Transferência de know-how, acesso a treinamentos, tecnologia, manuais, suporte técnico e a COF (Circular de oferta de Franquia)

Pouco suporte ao licenciado

Autonomia de gestão limitada, pois há um padrão, testado e validado, a ser seguido

Autonomia de gestão do negócio, o licenciado deve apenas atentar para as cláusulas de uso da marca postas em contrato

Pagamento de taxa de franquia e royalties

Pagamento de royalties

Plano de marketing estruturado com orientações e, em alguns casos, com co-participação da franqueadora e liberdade de gestão em redes sociais

Plano de marketing é de responsabilidade exclusiva do licenciado

Participação de grupos com empreendedores já experientes com a marca.

Transferência do uso da marca

Contrato validado pela lei de Franquias, com período de 5 anos.

Contrato de curta duração

Entenda mais sobre os modelos aqui: Franquia ou Licenciamento: qual modelo escolher

5 → Como funciona o contrato de uma franquia

O contrato de Franquia é o instrumento legal que comprova a compra de uma franquia.

A maioria das empresas disponibiliza o contrato ao franqueado em anexo com a COF. Ambos os documentos são de extrema importância e devem ser lidos com calma e com o auxílio de um advogado. 

Segundo especialista, quaisquer dúvidas sobre os termos do contrato ou da COF devem ser tiradas antes da assinatura do contrato para evitar problemas futuros. 

Por se tratar de um documento detalhado, ele costuma ser extenso e deve conter todas as informações relevantes sobre a franquia.

Importante: o contrato de franquia e a COF não são a mesma coisa.

Na leitura do contrato de franquia, o empreendedor deve encontrar:

  • histórico da rede;
  • demonstrações financeiras;
  • modelo de negócios adotado;
  • fornecedores cadastrados;
  • lista dos franqueados da rede;
  • tipo de suporte oferecido;
  • detalhes sobre exclusividade e territorialidade.

No caso de alguma destas informações não existirem, a orientação é para que o empreendedor questione o por que com a franquia e valide as informações com um advogado de confiança.

 

A partir disso, o empreendedor deve atentar para o tempo de contrato com a franquia. Não há por lei um tempo mínimo ou máximo, cada franquia tem autonomia para definir o prazo ideal. 

Ao empreendedor cabe entender que a vigência do contrato deve ser maior que o prazo estimado para o retorno sobre investimento. 

Além disso, na composição do contrato deve se levar em conta o DRE (Demonstrativo de Resultado), documento desenvolvido com base às informações de receitas, impostos e despesas fixas e variáveis da operação.   

Segundo Lyana Bittencourt, antes de emitir o DRE é preciso levar em conta o plano de negócios (Business Plan) que analisa pontos como: “o modelo de negócio que será franqueado, suas características, tamanho, equipe, investimento inicial, localização ideal, público alvo, atuação da concorrência, entre outros. Tal estudo é que vai embasar tecnicamente a viabilidade da aplicação do sistema de franquia no negócio analisado”, escreve Lyana à Exame.

São estes dados que vão dar base à construção de um período mínimo do contrato de franquias.

Por exemplo, se o ROI é construído em 12 meses, estima-se que o contrato mínimo deve ser de 5 anos.

Outra informação indispensável, disposta em contrato são as regras para renovação. Em geral, elas estão relacionadas a fatores como capacidade de gestão do negócio, cumprimento do estabelecido na COF e manutenção da marca.

Em resumo, para se definir um prazo de contrato e renovação é preciso observar o histórico da empresa e as peculiaridades de cada unidade franqueada.

6 → Como funciona a ativação de uma franquia

Uma das etapas mais importantes no pós-compra de uma franquia é a ativação da unidade. É nela que o empreendedor inicia o relacionamento com seus primeiros clientes e constrói a marca na região escolhida.

Para cada modelo de negócio haverá uma lógica de ativação. Por exemplo, se sua opção foi por uma franquia tradicional, a ativação vai estar ligada a legalização e personalização da unidade física.

Neste caso, é preciso atentar para os processos burocráticos para a abertura da unidade, como alvarás, contratação de funcionários.

Por outro lado, ao apostar em uma franquia digital, as preocupação de ativação estarão relacionadas e inerentes à categoria do negócio.

Por exemplo, em uma franquia de delivery de comida, a ativação passa por ter o maior número de restaurantes cadastrados no app no dia do lançamento.

6.1 → Seleção de ponto comercial

Embora com maior interesse para franquias físicas, a escolha de um ponto físico, dependendo do modelo de negócio, é importante também para as franquias digitais.

E para escolher o melhor ponto, o empreendedor deve levar em consideração alguns pontos. Segundo Vinícius Dambros, diretor de marketing da Delivery Much, a análise de viabilidade do negócio, ou seja, quanto você pode pagar por m², para que o negócio seja lucrativo e se o ponto é de destino ou passagem são passos iniciais.

Ele explica que pontos de destino são aqueles em que o público se desloca com objetivo único de acessá-lo. Concessionárias normalmente possuem essa características, por necessitarem de grandes áreas, acabam ficando em pontos mais deslocados da cidade.

Já um ponto comercial de passagem é o ponto onde naturalmente há fluxo de pessoas nas redondezas, normalmente motivado por centros comerciais e empresariais, zonas com grande presença de estabelecimentos de alimentação e outros comércios.

Além de entender se o negócio terá melhor performance em um ponto de passagem ou de destino, o empreendedor precisa avaliar o perfil do público que transita no local de instalação do negócio.

Dambros destaca que uma loja de produtos naturais fará mais sucesso em uma zona com diversas academias, por exemplo.

Além disso, observar se há disponibilidade de estacionamento (próprio ou próximo), fachada adequada para a sinalização do empreendimento são pontos essenciais para o sucesso da unidade.

6.2 → Publicidade e mídia de lançamento

A propaganda é a alma do negócio! O jargão é batido e rebatido, porém ao mesmo tempo segui-lo pode ser a diferença entre um lançamento de sucesso ou um fracassado.

Cada franquia terá um modelo específico de mídia de lançamento e é essencial ao empreendedor executar o planejamento para obter o melhor resultado em vendas. 

Outra dica é buscar conselhos de franqueados experientes que atuam em cidades ou regiões com características parecidas.  

Na rede Delivery Much por exemplo, há um acompanhamento muito próximo com cada nova unidade a ser lançada e para cada unidade é desenhada uma estratégia de lançamento, focando na experiência do usuário na hora de fazer a primeira compra e na retenção dele como cliente. 

Para Vinícius Dambros, diretor de marketing da Delivery Much, lançar bem uma franquia significa ter um ponto de partida mais alto, “algo que geralmente fará com que os negócios avancem de forma mais acelerada, tanto pela geração de caixa quanto pelo bloqueio a concorrência.”, enfatiza. 

Além disso, Dambros destaca a importância de investir em marketing e promoção, diversificando a oferta e buscando a maior visibilidade possível do negócio. 

“Nos primeiros meses de operação, o foco deve ser aquisição de clientes, para que ao longo do tempo essa estratégia passe a dividir força com o aumento de freqüência de pedidos por usuário.”, finaliza.

7 → Como funciona a gestão de uma franquia

A boa gestão de um negócio é fator crucial para o sucesso do empreendimento a longo prazo.

De acordo com o Sebrae, a gestão da unidade começa muito antes da compra da unidade, já na etapa de identificação de oportunidade. 

Na etapa, a instituição aconselha o empreendedor a construir um estudo de viabilidade. Henrique Krum, head de vendas da Delivery Much, aponta ser vital entender quais são as vantagens competitivas do negócio, as oportunidades e riscos do negócio e, além disso, quem fornecedores e canais de distribuição e logística.

Além disso, de acordo com Marco Severo, analista de Franchising Success da Delivery Much, já em posse da franquia, o empreendedor deve atuar sobre 4 pilares da gestão de franquias.

7.1 → Comercial

Na construção da sua análise de viabilidade, você já deve prever ações e quem será responsável pela área comercial da sua franquia. 

Logo, busque responder:

  1. quem será responsável pelas vendas ao cliente final
  2. quem será responsável em firmar parcerias com fornecedores e distribuidores?
  3. quem irá responder pela área como um todo?

7.2 → Marketing

Assim como o comercial, o marketing deve receber atenção especial nos primeiros meses de operação.

É evidente que ambas as áreas não devem ser negligenciadas em nenhum período do contrato, mas como explica Dambros: “o lançamento estabelece o ponto de partida de uma unidade e como os clientes percebem a marca no primeiro contato”.

Logo, além de seguir as orientações da franqueadora, o empreendedor deve estar atendo para gerenciar:

  1. Investimentos em mídias digitais
  2. Investimentos em mídias offline
  3. Acompanhamento e manutenção de redes sociais
  4. Metrificar resultados de campanhas
  5. Reuniões e validação de resultado com a franqueadora

7.3 → Financeiro

Segundo Enzo de Rosso, franqueado Delivery Much no estado de Rondônia, “para ganhar dinheiro é preciso investir dinheiro.”, e para investir mais e de maneira correta, a gestão financeira da franquia, assim como todas as outras áreas, deve ser orientada a dados. 

Isto é, além de controlar entradas e saídas, ter um setor de cobrança eficaz para evitar inadimplência, o financeiro deve entender junto com marketing, por exemplo, quais são as campanhas com melhores resultados, para que sejam redirecionados investimentos. 

Além disso, Elton Both, coordenador financeiro da Delivery Much, destaca que para uma boa gestão financeira, é essencial: 

  1. Conhecer custos fixos, despesas e receitas: a dica do profissional é para que você faça um fluxo de Caixa. “Considere o dinheiro que você tem disponível para começar o negócio e monte os cenários futuros, alterando, principalmente, o crescimento da sua receita e a inadimplência”, completa Both.
  2. Ler o contrato de Franquia: reforçando o que trouxemos acima, saber o que a Franqueadora vai cobrar mensalmente é essencial antes de assinar o contrato. Both explica que ter ciência desses valores é importante, pois eles fazem parte dos dos custos fixos do negócio. Além disso, é vital conhecer a base de cálculo para estes custos. Lembre-se a maioria dos valores que uma franqueadora cobra são em porcentagem, ou seja são variáveis, porém todos possuem um valor mínimo.
  3. Administrar e planejar o seu capital de giro: ter dados de forma transparente e de fácil acesso vai ajudá-lo a criar um fluxo de caixa mais eficaz. Entenda e estude como as receitas e despesas vão entrar/sair do seu caixa ao longo do mês. Se você precisa de capital para impostos, folha de pagamento e cartão de crédito nos 10 primeiros dias do mês, você precisa ter o saldo em conta desse valor. “No mínimo, em um cenário onde as suas receitas passam a entrar a partir do dia 10.” ressalta Both e completa: “você pode rebalancear isso. Negocie com seus clientes para receber antes, e com seus fornecedores para você pagá-los mais tarde.”.
  4. Considere os Impostos: toda empresa precisa pagar impostos, e de forma geral pode-se dizer que eles são cobrados sobre a receita. Logo, se você faturar 10 mil num mês, precisa estar ciente de que só pode usar apenas R$ 9 mil para pagar suas obrigações, despesas fixas, cobranças da franqueadora (admitindo uma alíquota de 10% nesse caso, para exemplificar).

  5. Prepare-se para qualquer cenário: todo empreendedor precisa se programar para diversos cenários, se preocupando com variáveis como concorrência, sazonalidade do mercado (ao longo do ano), especificidade da cidade onde vai operar, inadimplência, etc. Partindo dessa infinidade de cenários, o conselho de Both é para que se desenhe como você reagiria com um crescimento de 10% ao mês, depois com um crescimento neutro, ou seja 0, e depois com uma queda de 10% no seu faturamento, além de observar cenários com aumento da inadimplência.

7.4 → Gerais e Administrativos

Além dos pontos destacados acima, o empreendedor deve estar ligado com processos gerenciais inerentes ao negócio escolhido. Cada modelo irá demandar atenções diferenciadas. 

Por exemplo, em uma operação de delivery online, é preciso acompanhar de perto o andamento dos pedidos realizados no app, as entregas e a satisfação do cliente final e também do restaurante. 

Em uma operação tradicional, por exemplo de aluguel de equipamentos, é preciso acompanhar o desgaste dos materiais e controlar entradas e saídas de equipamento. 

Enfim, cada negócio irá demandar processos gerenciais específicos, para conhecê-los, ao entrar em contato com a marca escolhida, busque entender todas as minúcias do negócio e também em quais processos haverá suporte ou não e como a franqueadora pode facilitar cada processo.

8 → O que determina o sucesso de uma franquia

Seguir todos os passos destacados até aqui são essenciais para garantir o sucesso de uma franquia:

1 → Conheça tudo sobre a franquia

2 → Conheça quem são seu concorrentes diretos e indiretos

3 → Para ganhar é preciso investir

4 → Dedicação é essencial 

5 → Conheça seu cliente 

6 → Aplique técnicas de Customer Success

7 → Priorize uma boa Localização

8 → Use o know-how da franquia a seu favor

9 → Seja parceiro dos seus fornecedores

10 → Use, trabalhe e pense em rede

Contudo além destes passos, há outros pontos que são sensíveis e o empreendedor deve levar em conta para que sua unidade alcance sucesso. 

Segundo Danielle Moreira, coordenadora de Customer Success da Delivery Much, o sucesso de uma franquia está atrelado a três fatores principais. 

a) Relacionamento local do franqueado: Além de estratégias de marketing (on e off) é importante que o franqueado e sua equipe prezem por um bom relacionamento com públicos de interesse do negócio. Construir boas relações com influenciadores digitais, formadores de opinião, mídia, empresários, etc é essencial para atuar localmente e conquistar uma boa reputação de marca local

Além disso, o próprio conceito de franquia foca-se no hiperlocalismo, ao buscar ampliar o alcance de uma marca, de forma rápida, a partir da expertise e conhecimento dos empreendedores locais.

Logo, o franqueado tem acesso ao comércio, fornecedores e público local, tornando mais fácil construir uma relação próxima com todos os envolvidos no processo. Fator que aumenta e potencializa uma franquia. 

b)  Forte atuação comercial: Como explicamos acima, uma boa gestão financeira é muito importante para se ter controle do negócio, compreender que existem períodos sazonais e quando e como atuar com promoções. Para Danielle, esta é a melhor maneira de conquistar a saúde do negócio.

c)  Forte atuação comercial: essencial para qualquer negócio, uma forte atuação comercial irá garantir bons parceiros, possibilitando negociar orçamentos, por exemplo e ainda, dependendo do negócio, ter uma variada gama de produtos para os usuários.

Então …

Da escolha à operação de uma franquia é uma caminho longo, porém se feito de maneira correta com ótimas expectativas de crescimento e lucros. 

E se você quer conhecer mais sobre o universo de franquias, continue aqui no blog, acesse nossos materiais especiais no canto superior direito e busque capacitação, uma dica é fazer os cursos do Sebrae e conversar com empresas e franqueados.

Quer conhecer mais sobre a Delivery Much e fazer parte do maior app de delivery do interior do Brasil, acesse: Franquias Delivery Much.