Negócios que faltam no Brasil

8 Negócios que faltam no Brasil

Buscar ideias de negócios inovadores e que faltam no Brasil pode ser uma alternativa interessante para quem quer empreender em 2021.

Fazer o que todo mundo está fazendo ou o que ninguém está fazendo? 

A escolha de um modelo de negócio para empreender varia muito de acordo com o perfil de cada empreendedor. Enquanto alguns veem vantagem em investir em negócios já consolidados no mercado e que, por isso, podem ter mais chances de darem certo, há aqueles que resolvem arriscar em ideias de negócios que faltam no Brasil, com a intenção de serem precursores em determinado segmento.

Não existe uma escolha certa. Em ambos os casos, o estudo do mercado, do comportamento dos consumidores e das mudanças da sociedade como um todo são essenciais para avaliar se um negócio tem chances de ser bem sucedido ou se é apenas um tiro no pé.

Mesmo para aquelas ideias que ainda não chegaram no Brasil, é necessário avaliar a demanda local antes de dar os primeiros passos. Afinal, é fundamental saber se um negócio é viável e pode dar lucro antes de começar.

Confira abaixo 8 ideias de negócios que faltam no Brasil mas que já fazem sucesso no exterior.


MENU DE NAVEGAÇÃO
1 → Chefe de cozinha particular
2 → Buy one, give one
3 → Lojas sem distinção de gêneros
4 → Dropshipping
5 → Lojas totalmente automatizadas
6 → Aluguel de roupas sob demanda
7 → Consultoria especializada para acidentes domésticos com foco em bebês
8 → Seguro sem burocracia


1 → Chefe de cozinha particular

Mesmo que não exista uma receita pronta para o sucesso, alguns setores são quase sempre mais seguros para quem pensa em abrir um negócio. É o caso do setor de alimentação, um dos que mais cresce em todo o país mesmo em momentos de crise.

Já que é um setor em constante expansão, a tendência é que ele também fique saturado, o que abre espaço para quem investe em ideias inovadoras, como é o caso do chefe de cozinha particular. Essa é uma solução pouco explorada no Brasil e que faz sucesso no exterior.

A ideia é contratar esses profissionais para festas ou pequenas reuniões entre amigos, o que pode atrair um público mais exigente, que busca por exclusividade e experiências gastronômicas diferenciadas.

2 → Buy one, give one

Outra ideia que está crescendo fora do país e pode ter uma boa aceitação do público brasileiro é o modelo de negócio “buy one, give one”. A lógica aqui é que: a cada produto vendido, outro é doado para alguém que precise.

A preocupação social é uma das principais tendências relacionadas ao comportamento do consumidor para 2021, o que acende um sinal verde para iniciativas que olhem mais para as pessoas ao invés de focar apenas no lucro.

O público para esse tipo de iniciativa é exigente, mas se mantém fiel às marcas que traduzem seus valores e efetivamente transformam o discurso social em ações.

3 → Lojas sem distinção de gêneros

As discussões relacionadas a gênero vem ganhando cada vez mais espaço na sociedade atual. Este é um debate que atrai principalmente as gerações mais jovens, que se empenham em desconstruir convenções e questionar os padrões impostos pela sociedade.

A indústria da moda impulsiona esses questionamentos, o que abre espaço para lojas que não fazem distinção de gênero. No Brasil, são poucos os negócios que investem no conceito de peças não binárias.

Lá fora, esse é um modelo bem mais comum, em que as lojas não possuem seções masculinas ou femininas.

4 → Dropshipping

Este é um modelo que já vem conquistando o mercado brasileiro há algum tempo, mas ainda com muito espaço para crescer.

O Dropshipping consiste em criar uma loja virtual e vender produtos importados. Até aí, nada de novo. A diferença é que neste modelo, o empreendedor não conta com um estoque.

O contato é feito diretamente com um fornecedor de fora do país (com foco principal na China e nos EUA) que trabalhe com o formato.

Aqui, o empreendedor se concentra em divulgar os produtos no seu site e, assim que o cliente compra, é o fornecedor que se encarrega do envio.

A vantagem para os clientes é encontrar produtos que não são vendidos no Brasil, ou produtos a preços mais acessíveis, enquanto para o empreendedor é a margem de lucro, que costuma ser muito alta para esse tipo de negócio.

5 → Lojas totalmente automatizadas (modelo Amazon)

Imagine uma loja em que você não precise de nenhum vendedor, atendente de caixa ou mesmo do uso de dinheiro ou um cartão de crédito para fazer a sua compra. É só entrar, pegar o produto, sair e pronto: o valor vai aparecer automaticamente no seu aplicativo. Parece mágica, mas é apenas o conceito de lojas totalmente automatizadas.

A Amazon abriu sua primeira loja neste modelo em 2016. Ela não tem caixa nem fila: a liberação na estrada é feita através de um app e os sensores localizados no teto da loja monitoram cada movimento do cliente lá dentro. Quando o cliente sai da loja, já consta no app todos os itens que ele comprou.

É uma inovação muito além da nossa realidade atual, mas que já está acontecendo. Hoje esse modelo ainda não é viável pelos altos custos envolvidos na operação, mas a tendência é que o investimento se torne mais baixo em um futuro talvez não tão distante.

6 → Aluguel de roupas sob demanda

Compartilhar ao invés de ter. A economia do compartilhamento conversa tanto com clientes que buscam marcas ambientalmente responsáveis quanto com aqueles que buscam ampliar suas possibilidades de consumo sem que para isso precisem acumular bens materiais.

No modelo de aluguel de roupas por demanda, os clientes têm opções que englobam desde alta costura até roupas para o trabalho ou do dia a dia. Mediante uma taxa mensal, por exemplo, eles podem ter acesso a um guarda-roupas diferente toda semana (ou todos os dias!). Além de produzir menos lixo, a solução é prática, ágil e também tem a grande vantagem da economia de espaço.

7 → Consultoria especializada para acidentes domésticos com foco em bebês

Sim, você leu certo. Esse é o tipo de negócio inovador que propõe uma solução simples para um problema que, muitas vezes, nunca nem pensamos a respeito.

Esse tipo de serviço não é muito difundido no Brasil, mas pode trazer bons resultados quando bem direcionado para o público certo. Pessoas que estão se preparando para terem o seu primeiro bebê se preocupam em garantir seu conforto e segurança, mas geralmente não sabem como fazer isso.

O consultor entra com um olhar especializado para ajudar esses pais de primeira viagem a prevenirem acidentes e adequarem sua casa para a chegada do pequeno.

8 → Seguro sem burocracia

Quem já precisou contratar um seguro sabe bem a dor de cabeça que essa tarefa pode causar. Nesse cenário, um serviço com a possibilidade de contratação em poucos minutos e sem burocracia teria grandes chances de conquistar uma clientela fiel rapidamente.

A ideia por trás de um seguro sem burocracia é que o cliente possa formalizar a contratação através de aplicativo, sem papeladas para assinar e com o recebimento quase que instantâneo do dinheiro. A auditoria referente ao ocorrido é feita depois do pagamento, em um movimento completamente disruptivo em relação ao praticado normalmente.

Em resumo, a proposta desse modelo de negócio é colocar o cliente em primeiro lugar.


Leitura complementar

2 thoughts to “8 Negócios que faltam no Brasil”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *