Tendencia-de-consumo-no-brasil-2

Tendência de consumo no Brasil e no Mundo para 2021

O foco para 2021 é oferecer a melhor experiência para o consumidor.


Os consumidores estão cada vez mais exigentes. Eles esperam sempre os melhores produtos e serviços, e muitas empresas correm contra o tempo para deixarem a concorrência para trás e conquistarem o posto de primeira opção.

Não só as expectativas dos consumidores aumentam, como o seu comportamento de consumo muda o tempo todo. Conhecer e adaptar o seu negócio às principais tendências é um passo fundamental para alcançar e se manter na liderança.

Para fechar o ano com um planejamento definido para 2021, confira abaixo 5 tendências de consumo no próximo ano no Brasil e no mundo.


MENU DE NAVEGAÇÃO

1 – Hiperpersonalização
2 – Ciência de dados
3 – Abordagem Omnichannel
4 – Privacidade e segurança
5 – Engajamento social


1 – Hiperpersonalização

Você já teve uma experiência de compra que parece ter sido pensada especialmente para você? Bom, há grandes chances de que não seja apenas coincidência.

Personalizar a experiência de compra é o foco de muitas marcas que enxergam o potencial da estratégia de oferecer benefícios tanto para o cliente quanto para a empresa.

Ao mesmo tempo em que os clientes têm acesso a produtos e promoções relevantes para eles, a empresa cria oportunidades de aumentar suas vendas e atrair esses mesmos clientes para novas compras.

A hiperpersonalização se baseia na inteligência de dados para desenvolver um atendimento personalizado, com uma linguagem compatível com as características de cada cliente. Com isso, é possível construir uma experiência mais significativa e oferecer a ele produtos que realmente satisfaçam as suas necessidades, ao invés de encher seus dispositivos com anúncios que não façam nenhum sentido para eles.

Essa mesma estratégia também é importante no pós-venda. Este é o momento de estreitar ainda mais a relação com o cliente através de um suporte diferenciado e que aumente suas chances de retenção e fidelização. Quando o cliente se sente único e próximo da marca, a probabilidade de gastar mais em cada compra também é maior.

2 – Ciência de dados

Ao lado da tendência à hiperpersonalização, a ciência de dados (ou data science) também seguirá forte em 2021. Em poucas palavras, ela envolve saber o que os seus clientes querem e oferecer isso a eles.

Os dados fornecidos pelos seus clientes são essenciais para nortear os objetivos e estratégias do seu negócio. Por isso, foque em entender suas preferências, o seu comportamento de compra (tanto online quanto offline) e o seu perfil (que fornecerá as informações necessárias para construir a sua persona).

Pense nas vantagens, por exemplo, de ter um feedback em tempo real do seu cliente a respeito dos produtos que ele comprou. Quanto antes perceber uma falha em produtos que têm avaliações negativas, mais rápido você conseguirá corrigi-la e evitar que seu cliente deixe de comprar com você.

O mesmo vale para direcionar o produto certo na hora certa para a pessoa certa. A partir de dados fornecidos pelo seu cliente, é possível prever suas necessidades e enviar um lembrete a ele quando forhuhauhahuah o momento de uma nova compra.

Isso funciona muito bem com produtos de higiene e beleza, por exemplo, mas também pode ser uma estratégia interessante para um restaurante usar com seus clientes usuais (talvez convidando para conferir novidades ou enviando uma oferta personalizada de acordo com seus pratos favoritos. As possibilidades são inúmeras!).

3 – Abordagem Omnichannel

Imagine essa situação: você teve um problema com um produto e entrou em contato através de uma das mídias sociais da marca. Ela retorna pedindo que você entre em contato por meio do site. Você busca o chat disponível no site e precisa relatar novamente o seu problema. Como resposta, é passado um e-mail para que você entre em contato. E então, pela terceira vez, você precisa fornecer os seus dados e explicar novamente toda a situação.

Se você já fez compras online, é provável que já tenha passado por alguma situação parecida. Para o cliente, isso soa, no mínimo, como um desrespeito. Afinal, a marca não é uma só? Então porque, em cada canal, o cliente é tratado como um completo desconhecido?

A abordagem omnichannel dita que os dados devem seguir o cliente para onde quer que ele vá, seja de uma mídia social para o site, seja do site para a loja física. Se os dados são reunidos de forma inteligente e integrada, o relacionamento com o cliente também se torna mais consistente.

4 – Privacidade e segurança

Ainda que nem sempre a gente preste atenção nos “termos e condições” que aceitamos por aí, a preocupação com a privacidade e a segurança dos dados dos seus clientes devem ser prioridade.

Por mais que eles nem sempre saibam o quanto os dados que fornecem ajudam a construir sua experiência de compra, eles sabem que são valiosos para as empresas. A falta de confiança na forma como esses dados serão usados, no entanto, pode fazer com que muitos consumidores fiquem inseguros — ou até mesmo desistam da compra.

A transparência da empresa é fundamental. A tendência é que as empresas invistam na implementação de sistemas de segurança mais rígidos e seguros e comuniquem os consumidores sobre essas medidas.

Também é esperado que as empresas ofereçam a seus clientes um controle maior em relação aos dados que eles compartilham. Atitudes como essas, que demonstram compromisso com o bem-estar e a segurança, também colaboram na atração de mais clientes.

5 – Engajamento social

Por fim, a conexão irá despontar como um atributo forte nas tendências de consumo para 2021. As estratégias voltadas para o atendimento ao cliente através das mídias sociais continuarão sendo poderosas para a aproximação — característica que outros canais não têm —, desde que usadas da maneira correta.

Um estudo conduzido pela ValueWalk apontou que 63% dos consumidores esperam que os negócios ofereçam suporte através de seus perfis nas mídias sociais. Isso ajuda a aumentar a confiança do consumidor mas, para que a estratégia funcione, é preciso organização, comprometimento e agilidade de resposta. Tudo acontece muito rápido no meio digital, então um retorno que demora dias para chegar aumenta ainda mais a frustração de um cliente que já entrou em contato porque estava insatisfeito.

As mídias sociais acabam se mostrando mais efetivas do que o desenvolvimento de aplicativos próprios de uma marca. Os clientes preferem se comunicar através de ferramentas que usam com frequência do que baixar apps que só usarão de vez em quando. Esse é um ponto a ser levado em consideração antes de investir em uma plataforma própria.

E, por fim, olhe para as mídias sociais como um caminho mais curto para se relacionar com os seus clientes. Por isso, não deixe ninguém no “vácuo”: se um cliente faz um comentário, marca o perfil da sua empresa, faz stories e vídeo, reconheça e responda sempre que possível. Isso faz com que o cliente se sinta valorizado e se torne ainda mais fiel à marca.


Leitura complementar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *