Skip to main content
tipos de empreendedores

Conheça os 6 tipos de empreendedores mais comuns no Brasil

5 (100%) 2 votes

Individual, informal ou serial. No Brasil há várias categorias de empreendedores. Neste texto trazemos um pouco sobre o 6 principais tipos, confira!

São milhares os brasileiros empreendedores no país. Segundo a última edição da pesquisa Empreendedorismo no Brasil, a cada 100 brasileiros adultos, 36 estavam envolvidos com ações empreendedoras em 2017. Em dados absolutos, isso quer dizer que quase 50 milhões de pessoas residentes aqui se envolveram com empreendedorismo no ano passado.

Impressionante, não é mesmo? E como a população empreendedora é tão vasta, existem diferenças entre as formas como as pessoas gerenciam seus empreendimentos. Para começar, entenda que, economicamente, é possível dividir os empreendedores em dois grandes grupos: por necessidade e por oportunidade.

No primeiro caso, estão as pessoas que começam negócios motivadas pela sobrevivência e, portanto, empreendem com um sentido mais urgente, sem planejamento. No outro extremo, estão aquelas que percebem o empreendedorismo como um potencial de investimento e, logo, almejam uma boa oportunidade de negócio.

Essas duas segmentações, no entanto, são bem limitadas, pois não consideram particularidades de comportamentos e ações. Então, precisamos avançar um pouco mais para entender os tipos de empreendedores do Brasil.

Foi pensando nisso que produzimos este material. Vamos identificar alguns dos principais perfis de empreendedores do país e mostrar características de cada um deles. Acompanhe e descubra qual categoria mais se aproxima de você!

1 – Informal
2 – Cooperado
3 – Franqueado e corporativo
4 – Individual
5 – Social
6 – Serial

Informal

Bancas de calçada, lojas de garagem e vendas diretas na rua são exemplos de empreendimentos informais. Nessa categoria, estão os empreendedores sem Cadastro Nacional de pessoa jurídica (CNPJ) e que, inicialmente, não pensam no negócio como um investimento.

O empreendedor informal é movido pela meta de ter o próprio negócio e, basicamente, trabalha comercializando produtos ou serviços para alcançar a independência financeira e pagar as contas de sua necessidade. Como não tem uma grande ambição por resultados, não corre altos riscos.

Porém, isso não quer dizer que um empreendedor informal não pode buscar horizontes mais amplos: não é raro que donos de negócios promissores comecem com projetos pequenos. Afinal, é justamente essa primeira experiência que vai ensinar quais são os passos básicos para abrir um empreendimento maior.

No Brasil, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o mercado informal passou de 36,4 milhões, em 2017, para 37,3 milhões, no segundo trimestre de 2018. Um crescimento de 3%, alcançando 40% do total da força de trabalho do país.

Cooperado

Agora, vamos falar de um dos tipos de empreendedores que todo mundo gostaria de ter em volta. Sabe por quê? As pessoas desse grupo trabalham bem em equipe e usando poucos recursos.

Um empreendedor cooperado age geralmente de maneira autônoma, mas prestando serviços para colaborar com resultados de uma empresa ou de uma comunidade. Desse modo, o objetivo não é empreender como dono de um negócio, mas como uma peça-chave para que os desempenho conjunto seja satisfatório.

Cooperados podem ser vistos, então, em diversos ramos de serviços freelancer, como ilustração, redação, artesanato e costura, por exemplo.

Franqueado e corporativo

Quando o assunto é franchising e mercado empresarial, nem todo mundo associa as funções de gerentes de unidades de franquias e funcionários contratados ao empreendedorismo. Mas essa visão precisa ser atualizada: muitos são os empreendedores franqueados e corporativos!

As atividades desenvolvidas na administração de redes franqueadas exigem diversas características empreendedoras, especialmente boas habilidades de comunicação para liderar equipes. Já nas organizações, a visão mais ampla e inovadora sobre processos são melhorias que os profissionais empreendedores conseguem aplicar em rotinas operacionais.

De modo geral, quem procura essa estratégia para empreender, também chamada de intraempreendedorismo, almeja fazer algo diferente, mas mantendo estabilidade financeira e menores chances de riscos.

e-book microfranquias

Individual

Classificação para pessoas que empreendem sozinhas. Assim como o empreendedor informal, o individual também age motivado pela sobrevivência e pela busca de um trabalho próprio que lhe garanta saúde financeira. Mas os dois tipos de empreendedores são diferentes.

A principal distinção está no fato de que a categoria de que estamos falando envolve registro no CNPJ como MEI, ou microempreendedor individual. Mais de 400 profissões são aceitas pelo cadastro do governo federal — alguns exemplos de profissionais que se beneficiam do sistema são: confeiteiros, editores, instrutores e cabeleireiros.

Retorno rápido em uma área específica e formalização são objetivos comuns entre os MEIs. Logo, esse é um perfil de empreendedor independente, mas mais planejado que o informal, o que também indica maior atenção a possíveis mudanças do mercado.

Social

Os empreendedores desse grupo são geralmente jovens, integrantes de uma geração que está cada vez mais ligada a causas comunitárias e sociais, utilizando um termo clichê, em causas para mudar o mundo. Diferentemente dos outros tipos de empreendedores, o retorno financeiro não está entre os focos principais.

O empreendedor social busca, especialmente, participar de ações que tenham impacto no bem-estar de outras pessoas. Logo, é comum observar indivíduos desse tipo em organizações não governamentais, fundações e instituições beneficentes. Empreendedores sociais são ótimos em trabalho em equipe e também são engajados e visionários.

Serial

Dedicar-se a múltiplos projetos e estar sempre em busca de novidades são dois elementos bem marcantes entre os que estão nessa categoria. O empreendedor serial é aquele que se envolve diretamente com mais de uma iniciativa, não importa se com retorno financeiro ou não. A principal motivação é empreender o tanto quanto possível.

Pessoas com esse perfil tendem a ser ótimas líderes, pois têm habilidade de sobra para se relacionar. Além disso, são boas gestoras e planners, conseguindo organizar rapidamente equipes, ideias e recursos para montar empreendimentos.

Mas não pense que empreendedores seriais são indivíduos com talentos raros e que tocar vários negócios é algo que acontece de uma hora para a outra. O mais comum é que, quem está nesse momento do empreendedorismo tenha passado por uma trajetória gradual de transformação, com erros e acertos.

Isso quer dizer que um empreendedor serial pode ter se desenvolvido em um ou mais perfis mostrados anteriormente. Porém, com o tempo, conquistou experiência para não se prender a apenas uma ideia de negócio. Logo, quem chega a essa fase já está mais estabilizado financeiramente e profissionalmente, empreendendo com mais assertividade e menos riscos.

Conhecer os tipos de empreendedores mais comuns no Brasil é importante para você compreender o ambiente que deseja integrar. Além disso, entender sobre diferentes perfis também pode ajudar na sua preparação pessoal.

Para facilitar a identificação do seu estilo, é interessante contar com um coach de empreendedorismo, profissional aliado para impulsionar novos empreendimentos. Esse será tema de novos conteúdos, nos acompanhe para receber as novidades!

 

e-book microfranquias