13 Tendências do Mercado de alimentação 2021

13 Tendências do Mercado de alimentação 2021

A busca por alimentos saudáveis e funcionais está entre as principais tendências do setor de alimentação em 2021.


Lá em 2019, quando avaliávamos as tendências para 2020, era impossível imaginar que o mundo passaria por uma transformação tão drástica.

Logo nos primeiros meses de um ano que prometia trazer a tão esperada recuperação econômica, nos vimos isolados e buscando formas de nos adaptarmos à pandemia.

Como não poderia deixar de ser, o cenário que se arrastou ao longo de todo o ano também impactou diretamente a forma como vamos encarar vários setores da economia em 2021, em especial o mercado de alimentação.

E um dos principais influenciadores é o comportamento do consumidor, que mudou muito em 2020, e refletiu nas tendências que trouxemos para você neste artigo. Confira:


MENU DE NAVEGAÇÃO

1 → Alimentação saudável
2 → Conveniência e praticidade
3 → Confiança e transparência
4 → Foco no delivery
5 → Kits alimentares
6 → Várias lojas, uma entrega
7 → Carnes alternativas
8 → Kombucha
9 → Alimentos reciclados
10 → CDB
11 → Comfort Foods
12 → Sobremesas sem açúcar
13 → Café além da xícara


1 → Alimentação saudável

No ano em que mais falamos sobre saúde, nada mais natural do que essa mesma preocupação se refletir em nossas escolhas alimentares. Segundo uma pesquisa realizada pela companhia americana ADM, as demandas e exigências alimentares dos consumidores estão mudando rapidamente, o que tem levado as indústrias do setor a investirem em novos produtos e posicionamentos para acompanhar essas transformações.

É possível identificar um aumento na busca por alimentos e bebidas funcionais, que nutrem o corpo, ajudam a melhorar o sistema imunológico e o aparelho digestivo e também trazem benefícios para a saúde mental. Segundo a pesquisa, 31% dos consumidores estão comprando mais itens “customizados” para sua saúde; desses, 50% preferem produtos que contêm ingredientes naturalmente benéficos.

A redução do impacto ambiental também se mostrou um fator decisivo de compra. 65% dos consumidores desejam que suas ações tenham impacto positivo sobre o ambiente, o que leva 32% deles a consumirem itens produzidos a partir de práticas sustentáveis. 

O aumento do consumo de produtos orgânicos, com baixo teor de açúcar e sem glúten também foi significativo. Segundo um levantamento realizado pela Delivery Much, os alimentos saudáveis ficaram em 8º lugar no ranking dos alimentos mais pedidos por delivery em 2020.

Por fim, acompanhando essa adequação da alimentação em busca de saúde e bem-estar, também foi possível perceber um aumento no consumo de vitaminas. Para melhorar a resposta do sistema imunológico a gripes e doenças diversas, as pessoas passaram a investir mais no consumo de vitamina C e D.

2 → Conveniência e praticidade

Muitas coisas em nossa rotina mudaram em 2020, mas a busca por conveniência e praticidade não estão entre elas. Prova disso é que a busca por essas características segue fazendo parte das principais tendências para o mercado de alimentação em 2021.

Desde a conveniência da entrega feita via delivery até a praticidade de comprar alimentos congelados ou pré-prontos, são inúmeras as formas de reunir essas características em um só produto. Para atrair clientes fiéis, é interessante trabalhar com nichos ou em combinação com outras tendências de mercado (como a da alimentação saudável, por exemplo).

3 → Confiança e transparência

Esta é uma tendência que já vem se fortalecendo nos últimos anos e promete se tornar ainda mais forte em 2021. Com a transparência vem a confiança, e é isso que os consumidores buscam nas marcas que escolhem.

Com a pandemia, passamos a prestar mais atenção a aspectos ligados ao processo de produção de um produto, como o seu manuseio, condições de higiene e armazenamento. Mesmo com o fim da pandemia, são grandes as chances de que esse tipo de preocupação se mantenha, já que há uma consciência maior do que está sendo consumido.

Os consumidores querem saber a origem dos alimentos e bebidas que consomem, e empresas que fornecem essas informações de forma clara já saem na frente na fidelização dos seus clientes.

4 → Foco no delivery

Mesmo quem não trabalha no mercado de alimentação sabe que o delivery foi um dos grandes protagonistas de 2020. Com o isolamento, o modelo foi a solução encontrada por muitos negócios do setor para se digitalizarem e seguirem operando mesmo com as portas fechadas para o público.

Para 2021, a tendência é de que o mercado continue crescendo. Mesmo após a imunização, a interação entre as pessoas pode demorar para voltar a ser como era antes, o que segue sendo uma barreira quando falamos em atendimento no salão. Criar uma experiência próxima, ainda que distante, vai ser um dos desafios para os empreendedores do setor.

Com o delivery em alta, as dark kitchens também atraem os negócios que precisam reduzir custos ligados à infraestrutura. Saiba mais sobre esse modelo neste post.

5 → Kits alimentares (clube de assinatura)

Um comportamento que já não era mais tão comum em vários lares brasileiros mas se intensificou durante a quarentena foi o hábito de cozinhar em casa. Seja para evitar sair de casa, seja para reduzir gastos, a busca por ingredientes e alternativas para o preparo de alimentos em casa abriu oportunidades de negócios para o setor de alimentação.

Restaurantes, bares, padarias e outros negócios do setor de alimentação podem aproveitar essa tendência para estenderem sua marca até a cozinha dos consumidores. O conceito é simples: o cliente faz uma assinatura e recebe em casa uma caixa com os ingredientes que precisa para fazer determinada receita (in natura ou pré-preparados), e apenas precisa cozinhá-los e finalizar o prato.

Esse modelo de clube de assinatura de kits alimentares é uma boa alternativa para quem precisa reduzir custos e remodelar o negócio. Além de oferecer ao consumidor a experiência de cozinhar seu próprio alimento, ele também gera uma renda extra e contínua para o negócio.

6 → Várias lojas, uma entrega

Quem é usuário de delivery provavelmente já passou pela situação de querer refeições de estabelecimentos diferentes mas acabar pedindo tudo de um só para não precisar fazer vários pedidos. Segundo as tendências para o mercado de alimentação de 2021, isso está prestes a mudar.

A ideia é que serviços de delivery ampliem suas opções de serviços e permitam que os consumidores façam pedidos de vários estabelecimentos diferentes e recebam tudo no mesmo pedido. Isso implica mudanças de logística e preparo dos estabelecimentos, mas não só é algo possível de ser feito como também pode mudar completamente a experiência de compra dos consumidores.

7 → Carnes alternativas

Com opções cada vez mais elaboradas, as carnes alternativas também são tendência para 2021. Segundo a pesquisa da ADM, 56% dos consumidores de produtos plant-based estão tentando comer mais alimentos e bebidas na versão vegetal.

E não é apenas a procura por hambúrgueres vegetais que aumentou: alternativas para alimentos como peixe, queijo e lanches proteicos prontos também entram na lista.

A busca por alternativas à proteína animal não se baseia apenas em ideologias, mas conquista também os consumidores que querem diminuir o impacto das suas escolhas alimentares no ambiente.

Aqui a transparência também é fundamental: como é uma tecnologia que ainda passa por processos de desenvolvimento, a preocupação com a origem dos produtos também é grande entre os consumidores.

8 → Kombucha

Este é um produto que vem ganhando cada vez mais adeptos de um estilo de vida mais saudável. O Kombucha é uma bebida fermentada feita a partir do chá preto adoçado que passa por um processo de fermentação por leveduras e bactérias benéficas à saúde.

Os principais benefícios são o fortalecimento do sistema imunológico e a melhora do funcionamento intestinal, mas ele também é indicado para combater a gastrite, equilibrar o pH do sangue, reduzir o estresse, entre outros.

Versões com maior teor alcoólico da bebida também vem se tornando populares. Segundo a Forbes, as vendas dessa versão da bebida cresceram de 1,7 milhões de dólares em 2017 para 12 milhões em 2019.

Com a mudança de comportamento dos consumidores e a busca por alternativas que contribuam para a melhora do sistema imunológico e prevenção de doenças, este tende a ser o momento certo de investir.

9 → Alimentos reciclados

Cozinhar com sobras faz parte da rotina de quem prepara seus alimentos em casa. Como mais pessoas passaram a cozinhar suas refeições durante a pandemia, a consciência sobre o desperdício de comida também cresceu, ao passo que o poder de compra de muitos brasileiros diminuiu.

Segundo uma pesquisa realizada pela Embrapa, cada família brasileira descarta aproximadamente 128,8 kg de alimentos por ano, colocando o Brasil entre um dos países que mais desperdiçam comida no mundo. Da mesma forma, a indústria também é responsável por altos volumes de descarte de matéria-prima, como alimentos muito maduros e grãos não processados, assim como a produção excedente.

Já existem inúmeras alternativas para diminuir o desperdício de alimentos, e em 2021 a tendência é de que elas se expandam ainda mais. Além de reduzir custos e aproveitar ao máximo a energia envolvida no processo de produção de produtos, negócios do ramo da alimentação que aderem à reciclagem de alimentos também conversam diretamente com consumidores que buscam diminuir seu impacto ambiental.

10 → CDB

A busca crescente por produtos à base de CDB demonstra o potencial do mercado em todo o mundo. O canabidiol pode ser produzido sinteticamente ou extraído da planta de cannabis, e não possui intoxicantes e efeitos colaterais psicológicos, sendo considerado seguro para o uso.

A partir da aprovação de uma lei americana em 2018 que legalizou o cânhamo (uma variedade da planta de cannabis), foi aberto um espaço significativo para o crescimento de produtos derivados do CDB. Ele pode ser usado em diversas indústrias, desde cosméticos até alimentos. A BDS Analytics estima que o mercado de alimentos e bebidas com infusão de canabinóides chegará a US$ 5,9 bilhões até 2024.

11 → Comfort Foods

Comidas que confortam são um delicioso recurso para quando nos sentimos pra baixo. Em um ano cheio de ansiedade e incertezas como foi 2020, não é de se admirar que o seu consumo tenha se destacado desde o início do isolamento.

Os lanches ficaram em primeiro lugar no ranking de alimentos mais pedidos por aplicativo, seguidos por hambúrguer, X e pizza. Esses alimentos simples, mas que resgatam hábitos familiares, têm um significado ainda maior quando nos vemos em situações tão adversas como uma pandemia. Produtos de padaria e confeitaria e comida italiana também entraram no páreo, conquistando a 5ª e a 12ª posição, respectivamente.

É esperado que em 2021 essa tendência siga crescendo e influencie diretamente na elaboração de menus.

12 → Sobremesas sem açúcar

Se antes a tendência eram os alimentos com altos teores de açúcar e ultraprocessados, agora o rumo tomado pelo setor de alimentos é outro. A redução do consumo de açúcar está entre as prioridades de quem busca um estilo de vida mais saudável, e a indústria já tem buscado alternativas cada vez mais elaboradas para acompanhar essas mudanças de comportamento.

Sobremesas sem açúcar não se restringem mais a quem convive com doenças como o diabetes. A partir de escolhas alimentares mais conscientes, os consumidores passaram a incluir em sua rotina alternativas naturais, como os adoçantes Stévia e Monk Fruit e sabores obtidos sem aditivos químicos. A tendência é que em 2021, ano em que a preocupação com a saúde continuará em alta, a procura por esse tipo de alternativa aumente ainda mais.

13 → Café além da xícara

Para quem não abre mão de um bom café, 2021 vai ser o ano de experimentar o seu sabor além da xícara. O mercado promete experiências diferenciadas relacionadas à bebida, como granola de café, smoothies e bebidas à base do grão, e mesmo iogurte com sabor de café.

O Brasil é o segundo maior mercado consumidor de café, com um consumo anual de aproximadamente 13 milhões de sacas em todo o país, e produz cerca de 30% de todo o café consumido no mundo. Com um mercado tão fortalecido, há muito espaço para a transformação do produto a fim de oferecer aos consumidores experiências diferenciadas.


Leitura complementar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *