Modelos de negócios de delivery como potencializar suas vendas

Modelos de negócios de delivery: como potencializar suas vendas

O serviço oferece várias possibilidades de alavancar as vendas do seu restaurante com foco na praticidade e conveniência para o consumidor.


Os hábitos de consumo mudam constantemente e neste período de isolamento social, as mudanças já começam a impactar os negócios. Esta é uma das conclusões da pesquisa do Instituto Locomotiva ao divulgar uma pesquisa sobre o comportamento de compra ao longo da pandemia.

Veja alguns números:

  • 25% dos entrevistados afirmaram que já pediam refeições por delivery e passaram a pedir mais durante o confinamento.
  • 10% não tinham o hábito de pedir comida por delivery e passaram a utilizar o serviço. 
  • 49% afirmam que vão aumentar a compra por apps depois da quarentena.
  • 32% vão diminuir as compras em lojas físicas.

Os dados alertam para a importância de investir no delivery o quanto antes. Mas você conhece todas as possibilidades do serviço?

Sempre que falamos em delivery, o primeiro conceito que nos vem à cabeça é o da entrega feita pelo estabelecimento, mas ele não se limita a isso.

Existem outros formatos de entrega de pedidos que podem ajudar o seu negócio a aumentar as vendas neste momento de crise (e mesmo após ela).

Quer saber mais? Confira abaixo mais informações sobre os modelos e saiba como operacionalizá-los no seu restaurante.


MENU DE NAVEGAÇÃO
1. Delivery
2. Takeaway
3. Drive Thru



1 . Delivery

O que é: o modelo mais conhecido está relacionado ao serviço de entrega de comida feito por restaurantes. Porém ele vai muito além, pois o conceito de delivery comporta a ideia de entregar, com qualidade, algo a alguém.

Podendo ser possível trabalhar com delivery de documentos, farmácia, cosméticos, conveniência, supermercado, enfim, muitos produtos se encaixam neste conceito.,

Como funciona: o pedido é feito online, por telefone, whatsapp ou apps de delivery e o estabelecimento entrega no endereço solicitado. Normalmente, o serviço conta com taxa de entrega.

O que é essencial para colocar o modelo em operação:

  • Sistema de pedidos: é preciso definir qual sistema mais faz sentido para a sua operação. Os apps de delivery, por exemplo, ajudam a organizar os pedidos e facilitam a logística de pagamentos, enquanto o whatsapp funciona bem para quem não deseja um volume grande de pedidos. Analise, antes de tudo, qual é o seu objetivo com o delivery e o quanto quer crescer a partir do modelo.
  • Entregadores: neste modelo, a loja é a responsável pela entrega do pedido, portanto sendo necessário a figura do entregador para executarem o serviço. Os apps de delivery também ajudam nesse quesito, uma vez que conta com os entregadores parceiros cadastrados na plataforma, o que dispensa sua contratação formal. Já para as lojas que possuem uma demanda muito grande ou entregam apenas em uma área limitada, a contratação de entregadores pode ser uma solução mais estratégica.
  • Embalagens: elas precisam ser pensadas para conservarem as características dos produtos pelo maior período de tempo possível. Para os alimentos, o cuidado deve ser redobrado, pois comidas quentes devem chegar até o cliente ainda quentes e os geladas devem chegar geladas. O formato das embalagens também deve ser levado em conta, uma vez que os produtos serão acomodados em baús de motocicletas ou em bolsas de delivery, o ideal é que as embalagens se “encaixem” de forma a aproveitar ao máximo o espaço disponível. 
Modelos de negócios de delivery: como potencializar suas vendas - Delivery Much Blog

Dicas para restaurantes

Pratos que se dão bem no modelo de delivery: o fator mais relevante para a escolha de um cardápio de delivery é o tempo entre o preparo e o consumo. É preciso levar em conta que o pedido pode ficar em trânsito por bastante tempo até chegar ao cliente. Dito isso, selecione produtos que resistam bem a esse processo. Se for preciso aquecer novamente, é importante que as características e a qualidade do alimento não sejam afetadas. Por isso, alimentos como batata frita e sorvetes não são boas opções para esse modelo. Sopas e bebidas que não sejam envasadas (como cafés ou milkshakes) devem ser preferencialmente evitados. Caso sejam enviados, precisam estar em embalagens vedadas e que não comprometam a integridade de outros pedidos. 

2. Takeaway

O que é: serviço em que o cliente retira o pedido para consumir em outro local.

Como funciona: o cliente pode fazer o pedido pelo site ou app, com um atendente no local ou mesmo por meio de dispositivos de autosserviço, se for uma modalidade disponível no estabelecimento. Em todos os casos, o cliente informa que o pedido é para viagem e, em geral, retira diretamente no balcão.

O que é essencial para colocar o modelo em operação:

  • Área para a retirada dos pedidos: a organização é fundamental para o sucesso do modelo, especialmente se o negócio também tiver atendimento físico e oferecer outros tipos de delivery. Ter uma área destinada apenas para a separação e entrega dos pedidos evita atrasos e aglomerações.
  • Equipe: se o seu negócio estiver testando o modelo ou se o volume de pedidos não for grande, não é necessário dedicar uma equipe exclusivamente para o takeaway. No entanto, é importante ter ao menos um funcionário encarregado de receber os pedidos, os pagamentos (quando feitos diretamente no local) e finalizar a entrega no balcão. 
  • Embalagens para viagem: assim como no delivery, o takeaway também demanda cuidado com as embalagens. Aqui é importante pensar que é o cliente que vai fazer o transporte do pedido, então você deve facilitar essa etapa na perspectiva dele. Embalagens práticas e fáceis de segurar cumprem bem esse papel. Uma dica importante é fazer pesquisas periódicas para conferir se as embalagens utilizadas estão atendendo às necessidades dos consumidores ou se precisam ser repensadas.
  • Área de espera: se o volume de pedidos takeaway for grande, considere ter uma área de espera para oferecer mais conforto para os clientes. Ainda que o objetivo do modelo não seja retê-los no restaurante, cuidados como esse influenciam diretamente na experiência final.

Dicas para restaurantes

Pratos que se dão bem no modelo de takeaway: pratos que devem ser consumidos pouco tempo após o preparo são boas opções para esse modelo. Pizza, lanches, batata frita,  bebidas quentes ou geladas são alguns exemplos que se encaixam bem nessa proposta.

3. Drive Thru

O que é: nesse modelo, os clientes não precisam sair do veículo para receberem o seu pedido.

Como funciona: os veículos entram em filas de atendimento, e os pedidos geralmente são feitos, pagos e entregues através de janelas e cabines de atendimento. Esse é um sistema comum entre redes de fast food.

O que é essencial para colocar o modelo em operação:

  • Logística interna: o modelo de drive thru é conhecido, sobretudo, pela rapidez na entrega dos pedidos. Por isso, a organização interna deve ser semelhante à logística de uma linha de montagem, tanto para a preparação do pedido quanto para a finalização e entrega. O tempo aqui é crucial, mas a qualidade não pode ficar em segundo plano. Um sistema organizado ajudará a sua equipe a manter um padrão.
  • Produtos: para esse modelo, a preferência deve ser para produtos simples de entrega rápida. Se as opções do se negócio não atendem a esses requisitos e não podem ser simplificados, talvez a opção de drive thru não seja para seu negócio.
  • Perfil dos seus clientes atuais: esse é um ponto atenção. O drive thru deve exigir um investimento maior para adaptar a estrutura física do seu negócio, portanto é fundamental saber se a solução atrai seus clientes. Se você simplificasse o seu menu para agilizar a produção dos pratos, seus clientes aprovariam?
  • Embalagens: as embalagens para drive thru devem ser práticas e funcionais. Pense que seus clientes talvez não levem o produto para consumir em casa, então o ideal é que as embalagens tornem essa tarefa mais fácil. 

Dicas para restaurantes

Pratos que se dão bem no modelo de drive thru: pratos sejam de preparação rápida são o ideal. Também é preferível que sejam “fáceis de comer” — ou seja, que não precisem necessariamente do uso de talheres ou mesa de apoio. Lanches (no estilo fast food), bebidas e pratos que possam ser montados na hora também garantem a agilidade que o modelo pede.

Estamos produzindo vários conteúdos para ajudar o seu restaurante a enfrentar a pandemia. Confira aqui alguns dos artigos que publicamos no blog da Delivery Much:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *