o-que-e-taxa-de-franquia

Entenda o que é taxa de franquia e como ela funciona!

Uma das cobranças de ingresso feitas aos novos franqueados é a de um valor específico e fixo de concessão de uso da marca. O pagamento é único e ocorre na assinatura contratual. Esse é, basicamente, o procedimento para quitar uma taxa de franquia.

Como se trata de uma despesa inicial da qual não se pode fugir, não dá nem para pensar em empreender no ramo de franchise, seja em franquia ou microfranquia, sem considerar esse custo. Logo, para não ter erro, o investimento deve estar discriminado no plano de finanças.

Para você entender melhor como se dá essa relação, vamos focar na explicação de o que é taxa de franquia. Acompanhe este artigo para dominar a questão!

 

O que é taxa de franquia?

Esse valor é uma forma de remuneração da franqueadora ao licenciar o uso da sua marca por terceiros, ou seja, os futuros franqueados. O valor que será cobrado deve estar descrito claramente na planilha de investimentos da franquia.

Antes de fazer esse acerto de contas e de fato abrir uma unidade sob sua responsabilidade, é importante que o empreendedor busque orientação sobre o negócio. Conhecer a política de gestão, a relação de fornecedores, as necessidades de investimento e os objetivos comerciais, só para dar alguns exemplos, é essencial antes de partir para a efetivação.

É depois dessa aproximação que vem o pagamento da taxa de franquia, que ocorre na hora da assinatura do contrato. Esse valor garante os benefícios que a franqueadora vai oferecer ao novo franqueado.

Além de ceder o direito de explorar a marca, a taxa tem o objetivo de custear a capacitação inicial do empreendedor e de sua equipe, se houver. Também está relacionada à transferência de know-how da marca, que é a forma como tradicionalmente operam as franquias.

O franqueado deve pagar algo além da taxa de franquia?

Para que as operações do setor de franchise funcionem de modo estável e gerem retorno, alguns custos de suporte são necessários. A taxa de franquia é uma das principais e chama a atenção por estar entre os custos iniciais, junto do investimento para instalação da unidade e da organização do capital de giro.

Mas é importante compreender que esse custo não é único. Existem outros valores que são cobrados e diluídos durante o período de operações, todos de acordo com cláusulas acertadas no contrato assinado. Dentre eles, destacam-se as taxas de royalties e publicidade.

 

Taxa de royalties

Esse é um valor fixo aplicado sobre o faturamento bruto e que é cobrado periodicamente do empreendedor durante a vigência contratual. O objetivo dessa taxa é cobrir a licença de uso da marca.

O destino do dinheiro recolhido é uma opção da franquia. Pode servir para investimentos em pesquisas para desenvolver produtos e serviços. E também serve como modo de remunerar os franqueadores.

O cálculo dessa taxa depende de cada negócio, e há até mesmo redes em que esse valor inicial não é adotado. Assim como a taxa de franquia, a de royalties também deve ser explicitamente discriminada em contrato. Geralmente, o percentual cobrado gira entre 4% e 10%, dependendo da estratégia da franqueadora.

 

Taxa de publicidade

Nesse segundo caso, falamos de um fundo de reserva para ações de divulgação e marketing do negócio. Assim como a de royalties, essa taxa é cobrada periodicamente, diluída ao longo das operações.

O montante que é arrecadado entre os franqueados serve, por exemplo, para custear todos os recursos, eventos e contratações que forem necessários para aperfeiçoar conceitos de marca, fazer lançamentos e produzir campanhas.

 

O que é importante cuidar com relação à taxa de franquia?

Você deve observar que este valor deve estar discriminado na planilha de apresentação para investimento.  

Existem redes que não cobram a taxa de franquia e podem parecer muito atrativas por isso. Porém, é comum que, nesses casos, outras taxas sejam embutidas durante as operações, então, você deverá fazer uma leitura atenta dos papéis antes de se comprometer.

Além disso, essa pode ser uma estratégia para recrutar rapidamente vários empreendedores, porém, posteriormente, podem aparecer valores que o franqueado não havia previsto logo no início. Então, é bem importante estudar a fundo toda a documentação disponível sobre o negócio.

Considere também qual é o retorno que você terá sobre o valor aplicado. Que benefícios a franqueadora oferece? A taxa solicitada está coerente com a realidade do negócio?

Tenha em mente que a taxa de franquia pode, sim, ser um bom investimento. Isso acontece se o valor resultar em serviços e suporte, coisas que, se fosse empreender sozinho, o franqueado teria de arcar e correr atrás para conseguir. Logo, caso a taxa pago não seja adequada, fique alerta e previna-se dos riscos.

O empreendedorismo no ramo de franchise exige uma série de conhecimentos. Logo, estudar as oportunidades do setor é indispensável para qualquer pessoa que deseje investir nessa área. Então, que tal aproveitar esse novo conhecimento sobre o que é taxa de franquia e se aprofundar nos procedimentos iniciais para abrir uma unidade franqueada? Conheça agora mesmo a Circular de Oferta de Franquia!