Restrições alimentares aumente seus lucros e cuide de seus clientes

Restrições alimentares: aumente seus lucros e cuide de seus clientes

O seu restaurante está preparado para atender as demandas de clientes com restrições alimentares?


Já falamos aqui no blog sobre o quanto o mercado de alimentação se modifica para se adaptar às demandas dos consumidores.

Dentre estas mudanças, o nicho de alimentos pensados para quem possui restrições alimentares vem se destacando.

O setor além de suprir a demanda natural, abre oportunidades para restaurantes, que têm aí uma ótima oportunidade para aumentarem os seus lucros.

Segundo pesquisa do Euromonitor, o Brasil ocupa a 4ª posição no ranking global de consumo de alimentos saudáveis, movimentando US$ 35 bilhões por ano.

Além dos alimentos free from (sem a adição de algum ingrediente, como glúten, açúcar, aditivos químicos e leite de vaca) este segmento também conta com alimentos plant based (com matéria-prima de origem vegetal) e clean label (que se refere à rótulo limpo).

Estabelecimentos que não se adaptam perdem público – isso é fato. E, em pouco tempo, a oferta de opções diferenciadas será vista como o mínimo esperado de um cardápio.

Mas você sabe como fazer essas mudanças e se preparar para essa tendência que promete crescer cada vez mais nos próximos anos? 

Reunimos aqui as principais informações sobre o tema para ajudar você nesta tarefa. Acompanhe:

MENU DE NAVEGAÇÃO
1 – O que são restrições alimentares
2 – Como adaptar o seu negócio
3 – Como atrair público


1 – O que são restrições alimentares?

Antes de mais nada, é preciso entender o que configura uma restrição alimentar.

Cientificamente, o termo está associado a doenças, intolerâncias e alergias, mas o mercado não se limita só a isso.

Muitas pessoas também optam por excluir alimentos da sua dieta por motivos ideológicos, religiosos ou na busca por uma alimentação mais saudável.

Confira abaixo as restrições alimentares mais comuns:

Glúten

Proteína do trigo que oferece diversos riscos a quem é intolerante a ela – os chamados  celíacos.

Os sintomas da doença são diversos e, aparentemente, sem ligação. Além disso, muitas pessoas adeptas a dietas de emagrecimento também optam por riscar o glúten da sua rotina.

Leite

Pessoas intolerantes à lactose (que não conseguem digerir o açúcar do leite), alérgicas (que sofrem com reações mais graves decorrentes da ingestão), e veganas (que não consomem nada de origem animal) precisam de opções que não contenham leite no seu preparo.

Carne

As dietas vegetarianas e veganas ganham cada vez mais adeptos no Brasil. As opções sem carne acabam se tornando busca comum tanto para quem não consome por motivos ideológicos e religiosos quanto por quem busca um estilo de vida mais saudável.

Açúcar

A redução dos açúcares na dieta já não é mais uma opção exclusiva dos diabéticos. Quem busca uma alimentação mais equilibrada também prefere pratos que substituam o ingrediente.

2 – Como adaptar o seu negócio?

Adequar o seu empreendimento à realidade de clientes que convivem com restrições alimentares vai além de atualizar o cardápio.

Confira abaixo algumas o passo a passo para começar a atender a este público:

1 – Pesquise

Quando o assunto é saúde, a pesquisa é indispensável. É preciso entender quais adaptações devem ser feitas nas receitas para garantir o bem-estar dos seus clientes – em especial para aqueles que possuem alergias e intolerâncias.

A consultoria de um nutricionista é um ótimo recurso para garantir um resultado seguro.

2 – Verifique a necessidade de adaptar a sua estrutura

Em casos de intolerâncias e alergias, pode ser necessária uma adaptação além da simples substituição dos ingredientes nas receitas.

Quem é alérgico a glúten e leite, por exemplo, não podem consumir nem mesmo alimentos que contenham traços dos mesmos.

Se todos os alimentos forem produzidos na mesma cozinha, a chance de contaminação é grande.

Logo, se o seu objetivo for oferecer um alimento 100% livre destes ingredientes, talvez uma separação de cozinhas seja o ideal. A consultoria de um nutricionista também é bem-vinda neste caso.

3 – Treine a sua equipe

Sua equipe deve estar preparada para atender e propor alternativas para os clientes com restrições que escolherem o seu estabelecimento.

Não há nada mais desconfortável do que ser atendido em um ambiente que não dá a devida importância às necessidades dos clientes.

Em casos assim, os clientes que se sentirem lesados podem até mesmo entrar com medidas legais contra o restaurante.

3 – Como atrair o público?

Ainda que os consumidores com restrições alimentares já encontrem mais alternativas no mercado que supram a sua necessidade, a oferta ainda está longe do ideal.

Deixar de frequentar um estabelecimento devido à falta de estrutura para receber este público é algo realmente incômodo, então o simples fato de o seu restaurante contornar este impedimento já é um atrativo e tanto.

Veja abaixo algumas ideias que podem ajudar você a atrair este público mais rápido:

1 → Divulgue

Parece óbvio, mas muitos estabelecimentos acabam deixando a divulgação em segundo plano.

Não deixe de divulgar para todos os seus clientes, principalmente se esta for uma novidade.

Fale sobre os esforços para oferecer o melhor para os seus clientes e estimule a interação deles.

Mostrar que o seu espaço pensa em diversos públicos certamente contará pontos na hora em que estiverem escolhendo onde consumir.

2 → Deixe suas opções claras no cardápio

Destaque as mudanças feitas e sinalize todos os produtos que podem ser consumidos por quem tem restrições.

Você pode fazer um cardápio especial ou apenas adesivar o que já possui, além de utilizar o próprio ponto de venda para promover as mudanças para todos os seus clientes.

Mesmo quem não possui restrições, pode se beneficiar das novidades.

Um indicativo deste comportamento é uma pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que aponta que 55% dos brasileiros consumiriam produtos veganos se eles estivessem sinalizados no cardápio como tal.

3 → Faça pesquisas com clientes com restrições alimentares

Pesquisas com clientes são capazes de fornecer informações preciosas.

Converse com potenciais consumidores deste tipo de produto e busque sugestões de como tornar o seu cardápio mais atrativo para eles.

Além de gerar novas ideias, as pesquisas também irão demonstrar a sua preocupação em melhorar sempre e ajudar na aproximação do seu público, gerando clientes mais fiéis.

Confira mais ideias para colocar em prática no seu restaurante aqui:
Negócios de alimentação: aprenda como investir neste setor
Vale a pena investir no mercado de alimentação?
6 ideias de negócio próprio no ramo de alimentação
Saiba como ter sucesso empreendendo no setor de alimentação
3 tendências do mercado de alimentação que você precisa conhecer