Conheça os 15 setores que mais crescem no Brasil

Conheça os 15 setores que mais crescem no Brasil

Quem empreende em um negócio próprio, além de ter afinidade com o setor escolhido, deve saber avaliar suas opções estrategicamente.


Em momentos de incerteza econômica, saber investir é essencial. O empreendedor não pode apostar em “achismos” quando o seu dinheiro está em jogo: é preciso conhecer a fundo cada setor e analisar com cuidado todas as possibilidades.

Para isso, nada melhor que partir de setores que mais crescem no país. Ainda que não sejam garantia de sucesso, fatores como a boa aceitação do mercado, a adaptabilidade aos movimentos dos consumidores e adequação aos avanços tecnológicos certamente aumentam as chances de um negócio prosperar.

Confira abaixo uma lista com 15 setores em franco desenvolvimento no Brasil.


MENU DE NAVEGAÇÃO

1 → Franquias digitais
2 → Alimentação saudável
3 → Cosméticos naturais
4 → Desenvolvimento de apps
5 → Drones
6 → Infoprodutos
7 → Produtos artesanais
8 → Microcervejarias artesanais
9 → Pets
10 → Serviços por assinatura
11 → Cafés especiais
12 → Pagamento online e por aproximação
13 → Impressão 3D
14 → Coworking
15 → Games


1 → Franquias digitais

Obedecendo a mesma lógica de expansão em rede das franquias tradicionais, o modelo digital se diferencia por operar basicamente online. Esse, inclusive, é um dos principais diferenciais do formato e que ajuda a impulsionar o seu crescimento no país.

Já que as franquias digitais, normalmente, não exigem um espaço físico, o investimento inicial é menor. Além de atrair novos empreendedores que buscam conquistar o seu espaço no mercado empresarial, esse fator também chama a atenção de quem se dedica a mais de um negócio.

Outras vantagens do modelo são a possibilidade de trabalho a partir de casa (home office), a flexibilização de horários e, assim como as franquias tradicionais, poder contar como know how dos franqueadores em um negócio já testado e validado.

As franquias digitais podem atuar nos mais diversos setores, como alimentação, comunicação, serviços educacionais, entre outros.


Leia mais sobre franquias digitais aqui:


2 → Alimentação saudável

Alternativas saudáveis são a aposta de muitos empreendedores que investem no segmento de alimentação. Essa foi apontada como uma tendência para 2020 e, levando-se em conta a preocupação cada vez mais evidente da população com saúde e bem-estar, tem tudo para crescer ainda mais nos próximos anos.

O mercado de alimentação saudável conta com diversos nichos formados, em sua maioria, por clientes fiéis e dispostos a investirem em produtos diferenciados e dietas específicas. Exemplos de negócios que se originam desse princípio são as lojas de alimentos funcionais, de produtos para dietas restritivas (sem glúten ou sem lactose, por exemplo) ou mesmo os já conhecidos estabelecimentos voltados para a venda de produtos orgânicos. 

Mesmo se você optar por não focar apenas na alimentação saudável, é importante não ignorar as mudanças comportamentais dos consumidores e adaptar os modelos de negócio de acordo com as suas demandas.

3 → Cosméticos naturais

Os cosméticos naturais são a tendência da vez no mercado de beleza. Produzidos a partir de matéria-prima natural, esse tipo de produto atrai o interesse de 41% da população brasileira e cresce entre 8 e 25% ao ano no mundo todo, segundo pesquisa publicada no Caderno de Tendências 2019-2020 da Abihpec/Sebrae.

Produtos à base de plantas, óleos vegetais e extratos botânicos destinados à beleza e cuidados pessoais fazem parte dessa categoria. Os métodos de produção também são levados em conta: além de serem sustentáveis, eles devem promover um comércio justo.

4 → Desenvolvimento de apps

Com a popularização dos smartphones e a expansão da internet no Brasil, a demanda pelo desenvolvimento de aplicativos aumentou muito nos últimos anos. Se analisarmos o nosso ritmo de uso das tecnologias existentes e a probabilidade de adesão das que ainda vão surgir, é possível afirmar que a demanda por novos apps não vai diminuir tão cedo.

Segundo dados da pesquisa Pew Research, a indústria de desenvolvimento de aplicativos deve movimentar US$ 6,3 trilhões até 2021. O estudo também apontou que 60% da população adulta brasileira tem smartphones, confirmando o mercado nacional como altamente promissor.

Além dos aplicativos para smartphones, os apps para wearables (como smartwatches e fit bands), chatbots e apps que se integram a dispositivos conectados à internet vão se tornar cada vez mais comuns nos próximos anos.

5 → Drones 

Até pouco tempo atrás, os drones eram dispositivos que causavam muito estranhamento. Hoje, já é possível encontrar opções adequadas para diversas necessidades, como operações industriais, lazer e em atividades específicas, como agronegócio.

Fato é que o mercado ainda tem muito para ser explorado, o que torna a produção de drones uma oportunidade para quem busca investir em tecnologia. Segundo relatório da FAA (Federal Aviation Administration), o setor deve triplicar até 2023, com destaque para o aumento do uso no setor de logística.

6 → Infoprodutos

O marketing digital e os infoprodutos começaram a ganhar espaço no Brasil há pouco tempo. Ainda que sua expansão tenha sido expressiva, e tenha ganho protagonismo durante a pandemia, ainda há muito espaço para crescer no ambiente digital nos próximos anos.

A demanda existe e os consumidores se mostram cada vez mais abertos a novas experiências no mundo digital. As soluções mais conhecidas e buscadas são aquelas voltadas para o setor de educação, como livros e cursos online. Esse é um tipo de negócio que merece atenção, uma vez que o investimento inicial é baixo e a escalabilidade é alta. 

7 → Produtos artesanais

Se antes os produtos feitos em escala industrial eram os mais desejados pelos consumidores, hoje o caminho é inverso. Queremos a exclusividade que a produção em massa não pode oferecer. E é assim que os produtos artesanais conquistam cada vez mais o seu espaço: a partir da confecção de produtos únicos e com uma identidade própria.

Todos os setores podem ganhar com a produção artesanal, desde o alimentício até o de moda. Além da produção manual, feita “um a um”, os produtos artesanais também se caracterizam pela valorização do artesão e pelo incentivo a um ciclo de produção responsável como um todo.

8 → Microcervejarias artesanais

Mais um setor que deu um salto significativo nos últimos anos. O potencial de crescimento, no entanto, está longe de chegar ao seu limite.

Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), o mercado ganhou 186 novas fábricas e cresce a um ritmo de 35% ao ano após a inclusão da atividade no Simples Nacional, em 2018.

As características que atraem os consumidores são as mesmas que tornam os produtos artesanais especiais: o cuidado da produção individual que leva a um resultado único.

9 → Pets

O mercado pet é um dos que mais cresce no Brasil e, em 2020, deve atingir um faturamento de R$ 20 bilhões. Com um ticket médio alto e consumidores fiéis, essa é uma aposta de muitos empreendedores que buscam quem não economiza esforços para garantir o seu bem-estar de seus bichinhos de estimação.

Os empreendedores que decidem empreender no segmento encontram diversos tipos de produtos ou serviços para investir. Pet shop, banho e tosa, medicamentos, hotéis, creches, e lojas de alimentação especial para pets são apenas alguns exemplos. Este último, segundo a Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação), é responsável por 70% do mercado. 

10 → Serviços por assinatura

Este modelo não é novo, mas nos últimos anos ganhou um novo fôlego ao expandir para outros segmentos. O modelo de serviços por assinatura, geralmente associado a revistas e jornais, passou a ser usado na venda de produtos como vinhos, maquiagens, vestuário, produtos naturais, livros, entre outros.

O serviço funciona a partir de entregas periódicas mediante pagamento recorrente. Os fatores de exclusividade e surpresa são essenciais no modelo, uma vez que os assinantes recebem produtos que passaram por uma curadoria como parte de uma experiência única. A praticidade também é um fator decisivo para a aquisição do serviço.

11 → Cafés especiais

O brasileiro é o segundo maior consumidor de café do mundo, ficando atrás apenas dos EUA. Segundo a Associação Brasileira de Indústria de Café (ABIC), o Brasil é responsável por 13% da demanda global de grãos.

Os cafés especiais proporcionam uma experiência diferenciada para aqueles que apreciam a bebida. A seleção qualificada de grãos e a produção certificada atraem cada vez mais consumidores, o que leva ao consumo atual de 70 mil toneladas da versão premium por ano (o que representa um crescimento anual de 15%).

Além da produção independente de grãos e o investimento em cafeterias especializadas, vale a pena ficar de olho nas franquias que se destacam no segmento.

12 → Pagamento online e por aproximação

Na era digital, as opções de pagamento online e por aproximação são cada vez mais comuns e já fazem parte do dia a dia de muitos brasileiros.

Carteiras digitais, serviços e apps de transações financeiras, wearables e pagamento por aproximação do celular são alguns dos exemplos que estão modernizando o mercado financeiro e recebendo a aprovação dos consumidores.

Ainda que muitos negócios considerem as soluções como diferenciais, em poucos anos elas não serão opções e poderão eliminar do mercado quem não se adaptar. Portanto, os negócios que investirem em soluções simples e que se destaquem no mercado, tem tudo para crescerem e liderarem este movimento tecnológico nos próximos anos.

13 →  Impressões 3D

A impressão 3D, até pouco tempo atrás, era impensável. Mas hoje, ainda que não sejam produzidas em escala, elas já são conhecidas e utilizada com diversos fins. Segundo dados da IDC do Brasil, o segmento movimentará cerca de US$ 35,4 bilhões no mundo todo em 2020, com um crescimento de 24,1% no mercado brasileiro. 

Ainda que possa ser aplicada em vários segmentos, os mais promissores são o aeroespacial, de logística, química e biotecnologia, além de saúde, mineração e energia. O setor conta com os desafios de um negócio novo, mas quem investe e domina os usos da tecnologia, sai na frente de um negócio lucrativo.

14 → Coworking

Um dos principais exemplos do modelo de economia compartilhada, os espaços de coworking foram aos poucos conquistando o seu espaço. O Censo Coworking Brasil apontou que, em três anos, o mercado de escritórios compartilhados cresceu 500% no Brasil, em comparação com os 200% globais.

Espaço não falta para quem quer investir. Os coworkings podem ser dedicados aos mais diversos setores, desde moda até agronegócio. Um fator que impulsiona o modelo é o aumento do desemprego e, em consequência disso, do número de profissionais que trabalham de casa. Como o home office nem sempre é uma alternativa viável para todo mundo, o coworking se apresenta como a melhor opção.

15 → Games

O mercado de games nunca deixou de existir, mas não podemos negar o impulso que a revolução tecnológica das últimas décadas concedeu ao setor.

O segmento de informática e de games é um dos que mais crescem no Brasil e no mundo. Esse movimento é fortalecido pelo amplo acesso à internet, computadores pessoais e dispositivos móveis (que tendem a se tornar cada vez mais acessíveis com o passar dos anos). 

Confira também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *