13 Mitos sobre franquias o que é real e o que é mito no mercado de franquias

13 Mitos sobre franquias: o que é real e o que é mito no mercado de franquias

Está pensando em investir em uma franquia em 2020? Então este artigo é para você.


Conhecer todos os aspectos acerca de um mercado é fundamental antes de embarcar em qualquer negócio.

Isso inclui a identificação do que é mito e o que é verdade em relação a este mercado.

Por isso, preparamos neste artigo os 13 mitos sobre franquias, para que você fuja de armadilhas antes de assinar o contrato.

MENU DE NAVEGAÇÃO

1 – Investir em franquias é sucesso garantido
2 -Para ter sucesso em uma franquia, basta gostar do produto
3 – Qualquer pessoa pode ter uma franquia
4 – Uma marca forte garante sucesso
5 – Franquia é um negócio fácil
6 – Em uma franquia se trabalha menos
7 – O franqueado não pode opinar sobre o negócio
8 – Não é necessário de acompanhamento jurídico para assinar o contrato
9 – Investir em franquias é mais caro que começar um negócio próprio
10 – Franqueadoras têm como preocupação apenas expandir
11 – Todas as unidades precisam ser iguais
12 – O retorno sobre o investimento é imediato
13 – O Franqueado é um funcionário da franqueadora

1 → Investir em franquias é sucesso garantido

Comparadas com um negócio que parte do zero, as franquias certamente saem em vantagem, mas isso não quer dizer que riscos não existam.

É importante lembrar que elas são um empreendimento como qualquer outro. E estão sujeitas a influências externas e internas.

Sendo essencial o esforço do franqueado de fazer o negócio crescer e prosperar.

Segundo a ABF, o índice de mortalidade de uma franquia é até 7 vezes menor.

Contudo, se a promessa do franqueador for de “sucesso garantido”, é melhor avaliar outras opções.

2 → Para ter sucesso em uma franquia, basta gostar do produto

Gostar do produto com o qual você trabalha é um pré-requisito básico para a escolha de uma franquia ou mesmo para montar um negócio próprio. Afinal de contas, você precisa acreditar em algo para poder vender, certo?

Porém, isso não garante que a operação de uma franquia será rentável.

O empreendedor precisa ter consciência que o sucesso vai depender de alguns fatores como:

  • Dedicação do empreendedor
  • Esforço em conquistar e reter clientes
  • Oferecer experiências positivas aos clientes
  • Fortalecer parcerias
  • Buscar capacitação constantemente

3 → Qualquer pessoa pode ter uma franquia

Esse é um mito que pode representar um perigo significativo para quem investe em uma franquia.

É preciso que você, antes de tudo, avalie o seu perfil de empreendedor e tenha certeza sobre a sua forma de trabalhar.

Caso esta seja a sua primeira experiência, reflita sobre os seguintes pontos:

  • Qual é a sua motivação para investir em uma unidade de uma franquia?
  • Você se sente atraído apenas por fatores como “ser o seu próprio chefe” e “não ter mais um horário fixo de trabalho”?
  • Tem confiança no seu franqueador?
  • Está aberto a novas ideias e disposto a seguir o modelo pré-estabelecido pela franquia?
  • Sabe gerenciar conflitos e tem autonomia para buscar soluções em momentos de crise?

Antes de assinar um contrato, reflita sobre o seu perfil como empreendedor, converse com os gestores da franquia na qual deseja investir e busque atuais franqueados para compartilhar experiências.

Quanto mais você investir no seu autoconhecimento como empreendedor, maiores serão suas chances de sucesso como franqueado.

4 → Uma marca forte garante sucesso

Não é tão simples assim. Como já falamos anteriormente, o trabalho do franqueado faz toda a diferença no sucesso do empreendimento.

Se ele não souber inovar, não investir em um bom atendimento ou não souber divulgar a marca, o negócio não prospera.

É evidente que uma marca forte oferece uma vantagem por já ser conhecida do público, mas se apoiar apenas nesse sucesso é um erro que pode custar o negócio.

Lembre-se de que a concorrência não para de crescer. Novas marcas surgem todos os dias no mercado, e quem se acomoda e confia apenas nos resultados do passado, acaba fica pra trás.

5 → Franquia é um negócio fácil

Um modelo que possui vantagens em relação aos negócios tradicionais não faz dele, necessariamente, mais fácil.

O franqueado conta com a segurança de pisar em um terreno mais firme, além de poder contar com o suporte do franqueador. Por outro lado, ele enfrenta as mesmas dificuldades de mercado de qualquer outro negócio.

Embora o mercado de franquias cresça sem para há 20 anos, também precisa lidar com crises econômicas, com as mudanças de comportamento dos consumidores e, principalmente, superar concorrentes.

Empreender não é uma tarefa fácil em nenhuma circunstância; cabe ao empreendedor reconhecer e lidar com as particularidades de cada negócio.

6 → Em uma franquia se trabalha menos

Quem abre mão de um emprego tradicional para investir em uma franquia com a esperança de trabalhar menos, pode acabar se decepcionando – e muito!

Como dono de uma franquia, você precisa lidar com a responsabilidade de estar no comando de um negócio.

Isso vai significar, na maioria dos casos, um aumento das horas diárias trabalhadas, principalmente no primeiro ano de operação.

Além disso, você como empreendedor terá de lidar com a gestão do negócio, cuidar das finanças, gerenciar estoque, entre outras responsabilidades.

Estas são apenas algumas das tarefas que você precisará assumir como dono de uma franquia. É um trabalho árduo, mas recompensador, pois ao ver sua franquia crescer e gerar os primeiros resultados faz todo o esforço valer a pena.

7 → O franqueado não pode opinar sobre o negócio

Esse é um mito que acaba afastando muitos empreendedores do modelo de negócios.

De fato uma das principais características de uma franquia é ter todos os processos padronizados. Mas isso não quer dizer que o franqueado não tem voz, que não pode questionar as decisões do franqueador ou que deve apenas obedecer o que lhe é passado.

Pelo contrário: o envolvimento e a proatividade do franqueado são essenciais para o crescimento da marca como um todo.

E ainda que o franqueador possua um know-how valioso sobre a marca, ele não tem a mesma vivência local que o franqueado.

Logo, reunir as experiências acumuladas por cada unidade ajuda a definir as estratégias futuras da rede – e as franquias estão valorizando cada vez mais essa troca de conhecimentos.

8 → Não é necessário de acompanhamento jurídico para assinar o contrato

“Nunca assine um contrato sem ler.” Isso funciona em qualquer circunstância, e nas franquias não poderia ser diferente.

Mas, para quem não tem muita familiaridade com contratos, essa pode ser uma tarefa complicada. O acompanhamento jurídico é importante para que você possa esclarecer dúvidas e questões importantes a respeito do acordo para que não saia prejudicado.

Nas franquias, os contratos funcionam por adesão: ou você concorda com o que consta no documento ou não poderá ser um franqueado da marca.

Geralmente, não são possíveis alterações ou negociações, já que o mesmo contrato é aplicado em toda a rede.

Por isso, o apoio de um advogado especializado, além dar mais segurança, vai evitar que você fique preso a contratos tendenciosos e que beneficiem mais o franqueador que o franqueado.

9 → Investir em franquias é mais caro que começar um negócio próprio

Muito pelo contrário! Uma franquia demanda apenas uma fração do investimento que uma empresa convencional de mesmo porte exigiria.

Deve-se levar em conta nesse cálculo que o franqueado terá a sua disposição todo o know-how da equipe de gestores da franquia para ajudá-lo na implantação e na tomada de decisões.

Além disso, o empreendedor franqueado irá “pular” as etapas iniciais, e com o suporte da franqueadora evita uma série de erros comuns na fase de testes de um novo negócio – o que representa uma economia significativa de recursos.

10 → Franqueadoras têm como preocupação apenas expandir

Sejamos justos: este é o propósito de algumas franquias presentes no mercado.

No entanto, são essas mesmas marcas que encontram dificuldades de se consolidarem.

A construção de uma rede é um trabalho complexo e exige que cada unidade receba atenção e suporte antes que a venda de mais lojas seja efetuada.

Então, antes de investir em uma franquia, seja ela conhecida ou não, é importante que você pesquise se ela consegue manter suas unidades em operação.

Um franquia séria vai se preocupar primeiro com o sucesso de cada franqueado antes de pensar em expandir. O crescimento da rede será consequência.

11 → Todas as unidades precisam ser iguais

Uma característica forte das franquias é o padrão visual da marca. Por isso, tudo o que é ligado ao design é comum a todas as unidades da rede: layout de lojas, fachada, mobiliário, etc.

Mas isso não quer dizer que adaptações não possam ser feitas, desde que não descaracterize o conceito da marca como um todo.

O mesmo vale para adaptações em relação ao preço e ao mix de produtos: elas podem (e até mesmo devem) ser feitas a fim de se adequarem aos hábitos dos consumidores e à cultura local.

E ao empreender com uma franquia, mais do que facilitar a implantação de uma loja, e manter a estrutura é essencial comunicar o conceito do negócio.

E quando já está familiarizado com universo criado por uma marca, o cliente se conecta com ela mais facilmente.

Contudo, isso não significa engessar todos os processos. Eles precisam ser flexíveis à receptividade dos consumidores para poder funcionar.

12 → O retorno sobre o investimento é imediato

Este é um mito para qualquer negócio. Aliás, um conselho valioso para qualquer empreendedor é: fuja de empreendimentos que prometem retorno imediato.

Depois de implantar uma unidade, é preciso de pelo menos alguns meses para que ela comece a se estruturar, amadurecer e ganhar dinheiro.

Então, antes de adquirir uma franquia, você precisa estar atento em relação ao prazo de retorno sobre o investimento.

Isso é importante para que você possa fazer um planejamento financeiro adequado e garantir uma reserva para eventuais imprevistos.

E ainda que o retorno possa ser estimado, não é possível determinar exatamente quando ele acontecerá.

13 → O Franqueado é um funcionário da franqueadora

Por fim, é importante que um candidato a franqueado tenha consciência sobre sua relação com a franqueadora ao fechar um negócio.

Como a Lei de Franquias elucida, a relação entre as partes não caracteriza um vínculo empregatício.

E ainda que existam regras que o franqueado se compromete a seguir, ele é o dono do seu próprio negócio.

Na prática, isso significa que há uma parceria, já que franqueador e franqueado trabalham juntos para que a franquia cresça cada vez mais.

Leia também:

Conheça e entenda como funciona o sistema de franquias
Franquia ou licenciamento: qual a melhor opção para abrir seu negócio em pequenas cidades
Entenda o que é a COF (Circular de Oferta de Franquia)
Franquias: vantagens e desvantagens de investir no negócio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *